Brasileira criada na Inglaterra busca por parentes em Iguape no Vale do Ribeira Brasileira criada na Inglaterra busca por parentes em Iguape no Vale do Ribeira - O Vale do Ribeira

Técnico Informatica

Técnico Informática Registro

Brasileira criada na Inglaterra busca por parentes em Iguape no Vale do Ribeira

A brasileira Regiane Merks foi adotada por uma holandesa e criada na Inglaterra, busca por parentes no município de Iguape na região do Vale do Ribeira (SP). 

No Natal de 1995, ainda criança, Regiane Merks foi encontrada sozinha próxima a uma estação de trem de Curitiba. Um ano depois, ela acabou sendo adotada por uma holandesa e foi criada na Inglaterra. Sem saber até hoje que dia nasceu ou o que aconteceu naquele dia em que foi localizada, ela busca identificar sua história. Por meio de um site de genealogia, a jovem descobriu parentesco com pessoas de Iguape, no litoral paulista na região do Vale do Ribeira, com quem agora conta com a ajuda para encontrar seus pais biológicos.

Brasileira criada na Inglaterra busca por parentes em Iguape no Vale do Ribeira
Regiane identificou Caio, com quem tem parentesco, por meio de uma plataforma de genealogia online — Foto: Arquivo Pessoal



Em entrevista ao G1, o gerente de contas Caio Stanka Lopes, de 30 anos, contou que atualmente mora na Irlanda, mas que seus avós são de Iguape. Por isso, ele fez um teste de DNA em um site de genealogia, que permite que os usuários enviem uma amostra da saliva para análise genética e dessa forma criem árvores genealógicas para que pesquisem registros históricos e procurem possíveis parentes.


Foi por meio desse site que Regiane chegou até ele. Já que, interessada em descobrir sobre o passado dela, pediu para que a mãe adotiva que a desse de aniversário um teste de DNA de presente. "Os resultados deste teste mostraram que eu e ela, e alguns de meus primos distantes, somos do mesmo sangue. Regiane entrou em contato comigo e com o Fábio Siebert, meu primo, e contou a história dela. Como ela fala apenas inglês e a história dela nos comoveu muito, prometi ajudá-la", relembra.


Desde esse contato, o gerente de contas e os primos estão se dividindo para tentar localizar os pais biológicos de Regiane. Alguns deles estão usando o resultado do material genético da família e ligando os resultados em comum atrás de pistas, e Caio e Fábio estão divulgando a história da brasileira em veículos de comunicação e redes sociais.

Brasileira criada na Inglaterra busca por parentes em Iguape no Vale do Ribeira
Regiane um mês após ser encontrada sozinha em estação de trem de Curitiba — Foto: Arquivo pessoal


"Ela me disse que não busca por nada material ou justificativas. Mas está atrás de saber quem ela é, de onde ela veio, que dia ela nasceu e o que aconteceu no dia que ela estava perdida", afirma Caio.


Regiane foi encontrada sozinha, no dia 25 de dezembro de 1995, data em comemora-se o Natal. Ela estava perto da Rodoferroviária de Curitiba, sem marcas de violência e com aparência saudável. Ela era ainda muito pequena e mal sabia falar, então até hoje não sabe o que aconteceu naquele dia que fez com que ela estivesse naquele local.

Brasileira criada na Inglaterra busca por parentes em Iguape no Vale do Ribeira
Caso de menina apareceu no jornal na época em que foi encontrada sozinha — Foto: Arquivo pessoal



Na época do ocorrido, o caso de Regiane foi noticiado em jornais do Paraná, mas nenhuma informação foi encontrada sobre ela. Então foi levada a um orfanato de meninas, onde ficou até ser adotada, em 1997, pela holandesa Gertie, sendo criada na Inglaterra. "Como nosso DNA bate pela raiz de Iguape, acreditamos que ela possa ser da região do Vale do Ribeira, ou pelo menos seus pais ou avós possivelmente seriam de lá", afirma Caio.



Sonho de Regiane é saber sua história

Brasileira criada na Inglaterra busca por parentes em Iguape no Vale do Ribeira
Regiane apenas sabe a idade estimada de quando foi encontrada devido a exames que fez de raio-X — Foto: Arquivo Pessoal





Em entrevista ao G1, Regiane afirma que decidiu começar a procurar a família neste ano. "Sempre me disseram que eu não encontraria, mas o mundo mudou e com toda a tecnologia tem mais chances de eu encontrar minha família biológica ou membros próximos. Encontrei vídeos de jovens que encontraram a família perdida que não conheciam e isso me fez pensar que talvez fosse possível para mim."


Conforme relata, quando foi encontrada em 1995, ela não falava muito e só conseguiu dizer o nome dela. Ainda criança e com idade estimada em aproximadamente 3 anos, ela não sabia de onde veio, onde os pais estavam ou qualquer pista que pudesse levá-la à família. Ela relata que as autoridades a levaram a parques infantis e locais públicos para ver se reconhecia alguma coisa, mas não conseguiu reconhecer nada.


"Curitiba não significou nada para mim, mas São Paulo sim. A minha idade era de aproximadamente 2 anos e meio quando fui encontrada, estimada pelos raios-X dentários, raio-X das minhas mãos e meu tamanho. Isto me faria ter 27 anos atualmente, mas posso ser mais velha ou mais nova", conta.


Regiane relata que tem todo o apoio da mãe adotiva para localizar sua família biológica e que isso é muito importante para ela, já que a mãe sempre foi sua melhor amiga. A jovem relata que ficaria muito feliz se conseguisse localizar os familiares de primeiro grau e gostaria de conhecê-los e construir uma relação com eles, caso a família também queira. "Gostaria de contar quem eu sou e gostaria de ouvir as suas história."


"Encontrar minha família biológica significaria ter finalmente respostas às minhas perguntas. Eu quero saber porque estava sozinha na véspera de Natal, o que aconteceu, quem sou, de onde vim e quando é realmente o meu aniversário. Também saber se meu nome era Regiane ou fui eu que inventei. Então localizar minha família significaria que posso me sentir inteira, pois falta sempre uma peça e só ela pode preencher as respostas", finaliza.

Qualquer informação que possa ajudar Regiane a localizar os pais biológicos, pode ser enviada ao e-mail de Caio: caiostankalopes@gmail.com.


Fonte: Site G1

Postar um comentário

0 Comentários