Receba Grátis Noticias do Vale do Ribeira.
26 de junho de 2016
OFICINA DE CONSTRUÇÃO DE RABECA BUSCA ATRAIR O INTERESSE DOS JOVENS PELA CULTURA CAIÇARA
,
OFICINA DE CONSTRUÇÃO DE RABECA BUSCA ATRAIR O INTERESSE DOS JOVENS PELA CULTURA CAIÇARA


A Oficina de construção de rabecas , ministrada pelo artesão Odirlei, faz parte das Oficinas de Transmissão de Saber do projeto Gerando renda, motivando cidadãos coordenado pela AAPCI, e buscar atrair e despertar o interesse dos jovens pela cultura caiçara por meio dos instrumentos usados nos fandangos e reiadas.


Odirlei Franco de Lima, artesão e associado da Associação dos Artesãos e Produtores Caseiros de Iguape – (AAPCI), cresceu vendo o seu pai trabalhar com a caxeta na confecção de violas, rabecas e outros utensílios que usava no seu dia a dia de caiçara. “Desde criança eu tinha vontade de ter um instrumento e começar a tocar, pois eu cresci vendo meu pai fazendo viola, mas ele acabava vendendo o instrumento. Então, aos 14 anos, eu fiz o meu primeiro instrumento que foi um cavaquinho, mas depois vi que tocar não era tão simples quanto eu imaginava e continuei apenas a fazer instrumentos”, explica Odirlei. “Com o tempo eu parti para fazer outros tipos de instrumentos com a madeira e artesanatos como miniaturas de barcos e remos”.

TRADIÇÃO FAMILIAR – Os pais de Odirlei vieram da Jureia e, nos anos 60, quando a Jureia se tornou reserva ecológica, eles tiveram que se mudar para a Vila Nova, bairro próximo a Icapara. “O meu pai sabe fazer de tudo com a caxeta. Ele aprendeu com o avô e com o pai dele”, conta. “Ele me ensinou que a caxeta, quando você corta uma árvore nasce mais dois ou três troncos dela e se não cortar, aí com o tempo ela morre. Assim, quando você tira a caxeta você abre caminho para nascer mais e isto é um tipo de manejo sustentável”, explica o artesão. “Para o meu pai o trabalho com a caxeta sempre foi uma questão de sobrevivência, pois onde ele morava, na Jureia, eles precisavam aprender a fazer de tudo desde a canoa e o remo para a pesca até o pilão para socar o arroz, a farinha. O meu pai toca viola na folia de reis (reiada) e é fandangueiro. Já no meu caso, trabalhar com a madeira foi mais por gosto e para dar continuidade a técnica que ele me ensinou. Eu acabei me aprimorando e, hoje, faço outros instrumentos como a rabeca, a viola de dez cordas, cavaquinho, e costumo levá-los para o meu pai afinar e dar a aprovação”, complementa.

ESTRUTURA DA OFICINA – A oficina foi dividida em duas etapas, a primeira etapa teve início no dia 23 de junho, quinta-feira das 14 às 18 horas no salão comunitário do bairro de Vila Nova. “Estimamos uma duração de 3 meses com aulas semanais de 4 horas. “O público é formado por mulheres, jovens e até artesãos que têm o interesse de aprender a construir seus próprios instrumentos. Acontecerá uma outra oficina que deve ser iniciada em agosto, também com duração de 3 meses e a mesma carga horáaria”, diz. “As vagas são para 10 pessoas por turma e eu pretendo repassar aos participantes o conhecimento de como construir instrumentos usando a caxeta e orientá-losar sobre o manejo da madeira. ”Eu vou ensinar aos alunos como aproveitar ao máximo a madeira para a fabricação da rabeca, pois hoje a extração da caxeta é bem restritiva”, explica o ministrante.

IMPORTÂNCIA DA CULTURA CAIÇARA – Para Odirlei a principal importância da oficina e do projeto Gerando renda, motivando cidadãos é a de buscar prender o interesse dos jovens para a cultura caiçara. “Quando eu era jovem eu não dava valor a esta cultura e dizia que viola e rabeca eram “coisa de velho”, o fandango era para pessoas de idade”, fala Odirlei. “Eu sempre vivi a cultura caiçara e participava de tudo, dos mutirões e depois ia para os bailes de fandango e não era muito defensor disto, como eu sou hoje”, explica o artesão. “Naquela época era mais natural, mas de um tempo para cá ficou mais difícil de acontecer e hoje eu dou mais valor. Eu aprendi a importância da cultura caiçara que meu pai teve que aprender por necessidade e agora eu quero manter esta cultura não pela necessidade como o meu pai, mas para preservar e não deixar esta tradição acabar!”

INSCRIÇÕES E INFORMAÇÕES:
Os interessados em participar das oficinas ou de informações do Projeto Gerando renda, motivando cidadãos podem procurar no Mercado de Artesanato e Cultura que fica na Av. Princesa Isabel, 708 – centro – Iguape-SP( aberto todos os dias) das 9:00 as 17:30. As inscrições são gratuitas, mas limitadas.


O projeto Gerando renda, motivando cidadãos, é coordenado e executado pela Associação de Artesãos e Produtores Caseiros de Iguape (AAPCI), sob o patrocínio da Petrobras. A Petrobras, por meio do PPSA, patrocina 13 projetos sociais do litoral paulista, incluindo o Vale do Ribeira. O investimento é de R$ 3,8 milhões, no período de dois anos, para iniciativas dos municípios de Iguape, Ubatuba, Cananéia, Ilhabela, Peruíbe, Bertioga, Caraguatatuba, São Sebastião, Cubatão, Guarujá, Itanhaém, Mongaguá, Praia Grande, Santos e São Vicente. No estado de São Paulo, a seleção pública contemplou 32 projetos socioambientais de 26 cidades paulistas, somando R$ 9,2 milhões em investimentos.
Continue lendo >> Deixe seu comentário
24 de junho de 2016
A 18ª edição do Congresso Atalaias de Cristo, ocorrerá nos 15, 16 e 17 em Cajati
,
A 18ª edição do Congresso Atalaias de Cristo, ocorrerá nos 15, 16 e 17 em Cajati.

O evento será realizado no ginásio de esportes da cidade e contará com os preletores: Pr. Carlos de Jesus, Pr. Marco Feliciano e Pr. Ângelo Galvão.


E cantores: Damares, Raquel Veras, Rayssa e Ravel e Eliane Silva.

O intuito do congresso é de arrecadação em prol dos missionários sustentados pelos Atalaias de Cristo. A entrada é gratuita.
Continue lendo >> Deixe seu comentário
Vaga de Analista de Negócios Sênior- Sebrae SP Vale do Ribeira
,
 Vaga  de Analista de Negócios Sênior- Sebrae SP Vale do Ribeira

O SEBRAE - SP comunica a abertura das inscrições para a seleção de 1 (um) Analista de Negócios Sênior – ER Vale do Ribeira - Registro/SP.
ATENÇÃO: O processo seletivo está com um novo formato, especialmente na Comprovação Documental, portanto, antes de fazer sua inscrição é imprescindível a leitura do Comunicado 029/2016. Atente-se ao detalhamento dos pré-requisitos e etapas da seleção.
Acesse o link “Comunicado” ao final desta página.
 As inscrições devem ser feitas "aqui" no período de 21/06/2016 até 28/06/2016.
Acompanhem neste endereço todas as informações referentes ao Processo Seletivo e fique atento às datas previstas de cada uma das etapas, pois os prazos entre a divulgação e a realização do evento são curtos.
DOCUMENTOS
Continue lendo >> Deixe seu comentário
Prefeitura de Registro-SP cria Programa Bolsa Atleta com auxílio para atletas de rendimento
,
Prefeitura de Registro-SP cria Programa Bolsa Atleta com auxílio para atletas de rendimento


No dia 14 de junho, o Prefeito Gilson Fantin entregou a primeira parcela do auxílio financeiro aos 14 atletas que tiveram suas inscrições deferidas pelo Programa

Auxiliar atletas de alto rendimento para que possam participar de competições e adquirir materiais necessários para a prática esportiva é o objetivo do Programa Bolsa Atleta, criado pela Prefeitura de Registro. No dia 14 de junho, o Prefeito Gilson Fantin entregou a primeira parcela do auxílio financeiro aos 14 atletas que tiveram suas inscrições deferidas pelo Programa.

Prefeitura de Registro-SP cria Programa Bolsa Atleta com auxílio para atletas de rendimento

“Como os recursos são limitados, priorizamos o acesso de crianças e jovens ao esporte. Por isso ampliamos de 7 para 16 o número de modalidades esportivas nas escolinhas municipais, com o objetivo de promover a cidadania e a inclusão social ao ocupar o tempo dos mais novos com a prática de atividades saudáveis e educativas. A Bolsa Atleta veio para auxiliar aqueles que se destacam nos campeonatos regionais e nacionais, elevando o nome de Registro no esporte”, afirmou o Prefeito Gilson Fantin.

Os irmãos Igor e Mariana Kikuchi Cadilhac são atletas que competem em nível nacional no xadrez e receberão bolsa no valor de R$ 500 mensais. Os atletas que participam de competições em nível regional receberão R$ 350 mensais. São eles: Bruno Buen e Guilherme Cassiano Ferreira Silva (taekwondo), Cecília Mendes Kanashiro, Enzo Hideki T. Ussuki, Flavio Hideaki Senaga Shiray, Gabriel Yoshimoto de Lima, Gustavo Yuki K. Noguti (tênis de mesa), Eric Ken Itikurosawa Roçada, Igor Nascimento Matheus da Veiga, Milena Mayumi K. Kikuchi (Judô), Karoline Magario Hayashi e Wadad Gabrielly Hamada (natação).
Continue lendo >> Deixe seu comentário
Prefeito Gilson Fantin assina convênio para o SESC ocupar complexo arquitetônico do K.K.K.K.
,
Prefeito Gilson Fantin assina convênio para o SESC ocupar complexo arquitetônico do K.K.K.K.


Os trabalhos do SESC serão direcionados à realização de atividades importantes nas áreas de esporte, cultura, cidadania e arte

O Prefeito Gilson Fantin formalizou a parceria com o SESC, garantindo mais uma importante conquista para Registro. Gilson esteve nesta quarta-feira, 22/06, na sede da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomércioSP) para assinar o convênio que define a cessão do Complexo Arquitetônico do K.K.K.K. ao SESC-SP. A assinatura foi realizada com o Presidente da FecomércioSP, Abram Szajman, e com o Diretor Regional do SESC-SP, Danilo Santos de Miranda.

“É uma satisfação enorme fazer parte dessa conquista tão expressiva para o nosso Município. Pela qualidade da estrutura e da programação do SESC, as famílias de Registro, principalmente os jovens, terão acesso a atividades de esporte e cultura com o padrão de qualidade que já é reconhecido em todo o País”, enfatizou o Prefeito Gilson Fantin. “Não tenho dúvida de que os moradores, especialmente dos bairros do entorno do K.K.K.K., terão impactos muito positivos na autoestima, com estímulo à cidadania e à valorização do Município”, acrescentou. 

“Estamos muito felizes com a nossa chegada a Registro. Esta é a primeira unidade que será instalada na Região do Vale do Ribeira. O SESC ocupará um dos mais belos cartões postais que o Município possui. Nossos trabalhos serão direcionados ao fomento de atividades importantes nas áreas de esporte, cultura, cidadania e arte”, afirmou Miranda.

O espaço possui uma área de 20 mil metros quadrados. A princípio o local poderá dispor de ginásio poliesportivo, comedoria, teatro e piscinas. Segundo o SESC, tudo será realizado respeitando as características arquitetônicas do local, preservando a história e toda a relação que possui com o Rio Ribeira.

MUSEU DA IMIGRAÇÃO JAPONESA
Para que o SESC pudesse ocupar o Complexo K.K.K.K., o Prefeito Gilson Fantin conquistou recursos na ordem de R$ 500 mil para a construção de um novo Memorial da Imigração Japonesa. A desocupação total do espaço era uma condição para que o SESC viesse para Registro. Enquanto o novo museu não é concluído, o acervo da colônia japonesa ficará exposto a partir de agosto à Rua Miguel Aby-Azar, nº 135 (antiga Secretaria Municipal de Cultura).
Continue lendo >> Deixe seu comentário
Prefeitura de Registro-SP consegue liquidar quase R$ 14 milhões em dívidas e precatórios antigos
,
Prefeitura de Registro-SP consegue liquidar quase R$ 14 milhões em dívidas e precatórios antigos

Graças à boa gestão dos recursos, a partir do ano que vem o Município terá cerca de R$ 2 milhões a mais para investir em melhorias para a população

A Prefeitura de Registro-SP conquistou um feito inédito na semana passada. Graças à boa gestão dos recursos públicos e à repactuação de uma dívida de R$ 7 milhões feita em 1989, o Município terá R$ 2 milhões a mais no orçamento a partir de 2017, que poderão ser utilizados em melhorias para a população.

“Trabalho na Prefeitura há 26 anos e há 25 convivo com essa dívida de R$ 7 milhões, que era uma verdadeira pedra no sapato de todos os prefeitos. Com a atualização monetária e os altos juros, a Prefeitura gastava mais de R$ 1 milhão por ano para pagar as parcelas, que se estenderiam por mais 15 anos não fosse a repactuação conquistada pelo Prefeito Gilson Fantin”, explica o Secretário de Finanças. Mario Matsumoto esclarece que a dívida é resultado de um financiamento feito em 1989 para obras de pavimentação e drenagem nas Ruas Kesajiro Muraoka e Sinfrônio Costa e no Bairro CECAP.

No ano passado, o Governo Federal editou a Lei Complementar nº 148, que concedeu desconto sobre os saldos devedores dos contratos realizados pelos Municípios. Baseado na Lei, o Prefeito Gilson Fantin entrou com pedido de repactuação e conseguiu extinguir a dívida de R$ 7 milhões e ainda obteve um crédito de quase R$ 163 mil. 

Outra conquista importante da atual gestão foi o término do pagamento dos precatórios herdados desde 1980. De 2013 a 2016, a Prefeitura pagou mais de R$ 6,7 milhões em precatórios (resultados de desapropriações da década de 1980, como as áreas do Terminal Rodoviário, PIT e ruas centrais). Só a administração anterior (2009 a 2012) deixou de pagar R$ 3,5 milhões em precatórios e, em 2013, a Prefeitura foi intimada a quitar esse valor.

“Foi preciso fazer um grande esforço e sacrificar obras e serviços para pagar dívidas e precatórios antigos. Por isso, além de cumprir a Constituição e pagar os precatórios, imprimimos um ritmo de gestão que otimiza os recursos e prioriza as necessidades do Município. Com a colaboração de toda a equipe, alcançamos esse resultado positivo e, a partir do ano que vem, a Prefeitura terá cerca de R$ 2 milhões a mais no orçamento, que poderão ser investidos em melhorias no município”, destaca o Prefeito Gilson Fantin. 
Continue lendo >> Deixe seu comentário
Britânicos votam pela saída da União Europeia
,

Britânicos votam pela saída da União Europeia

Marcos Cordeiro Pires

Marcos Cordeiro Pires“23 de junho de 2016 entra para a História como o dia da independência do Reino Unido”. Com estas palavras, Nigel Farage, líder do partido de UKIP (Partido da Independência do Reino Unido) declarava a vitória do “leave” no plebiscito que decidiu pela saída do Reino Unido da União Europeia, cujo apoio alcançou 52% dos votos.

Durante a madrugada deste 24 de junho analistas de diversos meios de comunicação ficaram boquiabertos com o resultado. A inusitada vitória dos eurocéticos foi duramente absorvida pelo mercado. No momento em que se confirmava o resultado do plebiscito, a Libra Esterlina apresentava sua pior queda desde 1985. A cotação caiu de aproximadamente US$ 1,50 por Libra, no dia anterior, para US$ 1,34 às 5 da manhã de hoje no fuso horário inglês. Na mesma hora, as bolsas asiáticas caíam e o valor do ouro subia contra a Libra.

No momento em que os fatos estão se assentando, seria precipitado fazer qualquer análise sobre as repercussões ulteriores dessa decisão. No entanto, é possível fazer algumas reflexões sobre as razões que levaram os britânicos a optar pela saída da União Europeia.

Em primeiro lugar, é importante mencionar um déficit democrático entre as decisões da burocracia de Bruxelas e as expectativas do cidadão comum. Os efeitos da crise iniciada em 2008 ainda se fazem presentes, seja pelo desemprego, pela diminuição do bem-estar ou pela queda dos rendimentos. As ações da União Europeia, baseadas em medidas ortodoxas, contribuíram para contrair o nível de vida da população em nome de uma estabilidade econômica geral. De fato, o voto popular não consegue influenciar efetivamente as políticas nacionais frente à rigidez dos parâmetros definidos pela Comissão Europeia.

Soma-se a isso a exploração oportunista de grupos de direita que associam o mal estar sentido pelos cidadãos ao ingresso de imigrantes no país, principalmente daqueles provenientes de países do Leste europeu que recentemente ingressaram no Bloco. Segundo os grupos xenófobos, essas pessoas não só competem pelos empregos com os nativos como também tendem a pressionar o sistema de bem-estar social. Ademais, são esses os supostos responsáveis pela insegurança associada ao terrorismo que assusta o país. Assim, sair da União Europeia seria o meio de controlar as fronteiras e conter o indesejado fluxo migratório.

Outra questão de fundo diz respeito à própria lógica da globalização. A flexibilização comercial, a desindustrialização e a perda de empregos a ela associados faz com que os grupos sociais mais afetados vejam a integração econômica em nível regional (ou mundial) como a origem de seus infortúnios. Daí a opção pela autonomia para supostamente tentar se defender sob bases mais soberanas. “Em tempos de Murici, cada um cuida de si”, como diz o ditado nordestino.

Fenômenos similares podem ser observados em outros países da União Europeia, como França, Áustria, Holanda, Dinamarca, entre outros. Nestes países, grupos de direita e de extrema direita associam a imigração, a globalização e o burocratismo de Bruxelas com os problemas econômicos enfrentados por seus cidadãos. Mesmo do outro lado do Atlântico os discursos xenófobos e antiglobalização tem atraído o apoio de parcela significativa da população dos Estados Unidos. As semelhanças entre Boris Johnson, ex-prefeito de Londres e outro líder da campanha do “leave”, e Donald Trump vão muito além dos penteados exóticos. Fazem parte da mesma onda conservadora e populista que está varrendo o mundo.

Marcos Cordeiro Pires é professor do Departamento de Ciências Políticas e Econômicas da Unesp de Marília. Contato:mcp@marilia.unesp.br
Continue lendo >> Deixe seu comentário
23 de junho de 2016
28ª EXPOJAC AGITA O VALE DO RIBEIRA NO FINAL DE SEMANA
,
28ª EXPOJAC AGITA O VALE DO RIBEIRA NO FINAL DE SEMANA


Fernando & Sorocaba e Thiaguinho são algumas das atrações musicais que estarão na festa em Jacupiranga, que começa nesta quinta-feira (23.06) e segue até domingo (26.06)

28ª EXPOJAC AGITA O VALE DO RIBEIRA NO FINAL DE SEMANA


Jacupiranga comemora nesta quinta-feira (23.06), 88 anos de emancipação político-administrativa. Uma das principais atrações da programação de festividades de aniversário do município é a EXPOJAC - Exposição Agroindustrial de Jacupiranga, que neste ano está em sua 28ª edição. Tradicional no município, em 2016 a festa promete ser uma das maiores de toda história da cidade. Serão quatro dias de evento, com sete shows; alguns deles com cantores de renome e prestígio nacional.

28ª EXPOJAC AGITA O VALE DO RIBEIRA NO FINAL DE SEMANA
A abertura oficial acontece na noite desta quinta-feira  (23.06), com entrada franca e shows das duplas Ronnan e Rafael e Marcos Paulo e Marcelo, filhos de Milionário e José Rico. A festa, que pretende atrair um grande público de todo Vale do Ribeira, terá na sua grade de apresentações shows com o cantor Thiaguinho, na sexta-feria (24.06) e a dupla Fernando e Sorocaba no sábado (25.06). No domingo, pra encerrar a festa em grande estilo, a dupla Pedro Paulo e Alex (PPA), que já vem sendo considerados os grandes nomes de sucesso do sertanejo universitário.


Caso o tempo não colabore, isso não será problema para quem prestigiar o evento, pois a área de shows conta com cobertura para melhor comodidade do público. O evento trará ainda  exposições agroindustriais e de artesanato, cursos em parceria com o Sebrae e Senar, praça de alimentação e parque de diversões. De sexta (24.06) a Domingo (26.06) há venda de ingressos e passaportes. Mais informações no www.aloingressos.com.br  
Continue lendo >> Deixe seu comentário
SP leva testes da 1ª vacina nacional contra dengue para mais 3 cidades brasileiras
,


SP leva testes da 1ª vacina nacional contra dengue para mais 3 cidades brasileiras


A partir desta quinta-feira, estudo começa a ser realizado com 1,2 mil voluntários no interior do estado; na semana que vem será a vez de Manaus e Boa Vista

O Estado de São Paulo irá levar os testes em humanos da primeira vacina brasileira contra a dengue, produzida pelo Instituto Butantan, unidade da Secretaria de Estado da Saúde, para mais três cidades brasileiras.

A partir desta quinta-feira, 23 de junho, os estudos começam a ser realizados em cerca de 1,2 mil voluntários na cidade de São José do Rio Preto, no interior paulista, em parceria com a faculdade de medicina local.

Já na próxima semana, os testes serão iniciados em centros de pesquisa dos municípios de Manaus (AM) e Boa Vista (RR).

Trata-se da última fase da pesquisa em humanos antes da aprovação da vacina para produção em larga escala pelo Butantan e disponibilização para campanhas de imunização em massa na rede pública de saúde em todo o Brasil. Ao todo, serão mobilizados 17 mil voluntários em 14 centros de pesquisas situados em 13 municípios pelo país (veja relação abaixo).

Os ensaios clínicos desta etapa foram iniciados em fevereiro deste ano, pelo Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP, na capital paulista.
São convidadas a participar do estudo pessoas saudáveis, que já tiveram ou não dengue em algum momento da vida e que se enquadrem em três faixas etárias: 2 a 6 anos, 7 a 17 anos e 18 a 59 anos.  Os participantes do estudo são acompanhados pela equipe médica por um período de cinco anos para verificar a duração da proteção oferecida pela vacina.

A vacina do Butantan, desenvolvida em parceria com o National Institutes of Health (EUA), tem potencial para proteger contra os quatro vírus da dengue com uma única dose e é produzida com os vírus vivos, mas geneticamente atenuados, isto é, enfraquecidos. “Com os vírus vivos, a resposta imunológica tende a ser mais forte, mas como estão enfraquecidos, eles não têm potencial para provocar a doença”, explica o diretor do Instituto Butantan, Jorge Kalil.

Nesta última etapa da pesquisa, os estudos visam a comprovar a eficácia da vacina. Do total de voluntários, 2/3 receberão a vacina e 1/3 receberá placebo, uma substância com as mesmas características da vacina, mas sem os vírus, ou seja, sem efeito. Nem a equipe médica nem o participante saberão quais voluntários receberam a vacina e quais receberam o placebo. O objetivo é descobrir, mais à frente, a partir de exames coletados dos voluntários, se quem tomou a vacina ficou protegido e quem tomou o placebo contraiu a doença.
Os dados disponíveis até agora das duas primeiras fases indicam que a vacina é segura, que ela induz o organismo a produzir anticorpos de maneira equilibrada contra os quatro vírus da dengue e que ela é potencialmente eficaz.
“A dengue é uma doença endêmica no Brasil e em mais de 100 países. A vacina brasileira produzida pelo Butantan, um centro estadual de excelência reconhecido internacionalmente, será certamente uma importante arma de prevenção para que o país possa delinear estratégias de imunização em massa, protegendo nossa população contra a doença e suas complicações, afirma o secretário de Estado da Saúde, David Uip.

Histórico
Em 2008 o Instituto Butantan firmou parceria de colaboração com os Institutos Nacionais de Saúde dos Estados Unidos (NIH, na sigla em inglês), passando a desenvolver, no Brasil, uma vacina similar a uma das estudadas pelo NIH, composta pelos quatro tipos de vírus da dengue.

Um dos grandes avanços do Butantan no desenvolvimento da vacina foi a formulação liofilizada (em pó), que garante a estabilidade necessária para manter os vírus vivos em temperaturas não tão frias, permitindo seu armazenamento em sistemas de refrigeração comum, como geladeiras, além de aumentar o período de validade da vacina (um ano).

Nas etapas anteriores, a vacina foi testada em 900 pessoas: 600 na primeira fase de testes clínicos, realizada nos Estados Unidos pelo NIH, e 300 na segunda etapa, realizada na cidade de São Paulo em parceria com a Faculdade de Medicina da USP (através do Hospital das Clínicas e do Instituto da Criança) e com o Instituto Adolfo Lutz.

O Instituto Butantan tem um fábrica de pequena escala para a vacina da dengue pronta e equipada para produzir 500 mil doses por ano, capacidade que pode ser aumentada para até 12 milhões de doses/ ano com algumas adaptações industriais. O Butantan também tem em projeto a construção de uma planta de larga escala que poderá fabricar 60 milhões de doses/ ano. 

Ter a vacina desenvolvida e produzida por um produtor público nacional é uma vantagem competitiva para o Brasil, pois garante a disponibilidade do produto, permitindo a autossuficiência produtiva, além de garantir preços mais acessíveis.

Confira abaixo as cidades contempladas pelo estudo e os centros de pesquisa que convidarão e acompanharão os voluntários da vacina da dengue do Butantan:
REGIÃO NORTE
CIDADE
CENTRO DE PESQUISA
Manaus (AM)
Fundação de Medicina Tropical Doutor Heitor Vieira Dourado
Porto Velho (RO)
Centro de Pesquisas em Medicina Tropical de Rondônia
Boa Vista (RR)
Universidade Federal de Roraima

REGIÃO NORDESTE
CIDADE
CENTRO DE PESQUISA
Aracaju (SE)
Universidade Federal de Sergipe
Recife (PE)
Centro de Pesquisas Aggeu Magalhães – Fiocruz Pernambuco
Fortaleza (CE)
Universidade Federal do Ceará

REGIÃO CENTRO-OESTE
CIDADE
CENTRO DE PESQUISA
Brasília (DF)
Universidade de Brasília
Cuiabá (MT)
Universidade Federal do Mato Grosso
Campo Grande (MS)
Universidade Federal do Mato Grosso do Sul

REGIÃO SUDESTE
CIDADE
CENTRO DE PESQUISA
São Paulo (SP)
Faculdade de Medicina da USP
Santa Casa de Misericórdia
São José do Rio Preto (SP)
Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto
Belo Horizonte (MG)
Universidade Federal de Minas Gerais

REGIÃO SUL
CIDADE
CENTRO DE PESQUISA
Porto Alegre (RS)
Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul
https://ssl.gstatic.com/ui/v1/icons/mail/images/cleardot.gif

Instituto Butantan – Assessoria de Imprensa
Continue lendo >> Deixe seu comentário
A zika e a Olimpíada
,
A zika e a Olimpíada

Rodolpho Telarolli Jr.

Desde o início de 2016 tem sido cogitado o adiamento dos Jogos Olímpicos de 2016, em decorrência da dimensão assumida pela epidemia de zika na cidade sede do evento. Até o início de maio foram confirmados quase 50 mil casos no país, com uma das maiores incidências acontecendo no Rio de Janeiro. Por apresentar um quadro clínico mais leve que a dengue e a chikungunya e raríssimas mortes, a preocupação com a zika tem se centrado nos casos de microcefalia, decorrentes da infecção pelo vírus durante a gestação.

Até o início de maio foram confirmados quase 3 mil casos de zika em gestantes, passando de mil os recém nascidos com microcefalia. Mas como o Brasil nunca teve estatísticas dessa malformação, não é possível saber quantos desses nascimentos foram decorrentes da infecção pelo vírus.

O certo é que a ciência hoje acumula mais dúvidas que certezas a respeito do zika vírus. Algumas delas dizem respeito a aspectos básicos, como o período de reprodução do vírus no mosquito e o tempo de incubação no ser humano; a importância da transmissão sexual na veiculação da doença; e as chances de ocorrência de outras complicações neurológicas além da Síndrome de Guillain-Barré, bem como de malformações congênitas que não a microcefalia.

Apesar de haver registros de casos há décadas principalmente na Oceania, a zika só foi declarada emergência mundial em 2016, quando tornou-se uma epidemia no Brasil e foi confirmada a sua associação com a microcefalia. Até o momento foram registrados casos de microcefalia associada ao vírus em 8 países.

Alguns especialistas, com o apoio da Organização Mundial da Saúde, posicionam-se contra o adiamento dos Jogos Olímpicos, argumentando que, caso o evento seja realizado após agosto, a situação será pior, porquê o mosquito transmissor da doença se reproduz mais rapidamente a partir de outubro, quando o clima torna-se mais quente e úmido. Acreditam que o fluxo de turistas para o Brasil causará pouco impacto na disseminação da doença, já que ela está presente em 60 países e atualmente 20% da população mundial vive em áreas afetadas pela zika.

Do outro lado, estão os que defendem o adiamento dos jogos, lembrando que ainda sabemos muito pouco sobre a doença. Para eles é possível que a cepa do vírus que ocorre no Brasil seja uma variante mais grave que a encontrada no restante do mundo. A entrada dos 500 mil visitantes estrangeiros esperados no evento poderá favorecer a disseminação dessa cepa viral pelo hemisfério norte, onde se esperam surtos de zika a partir do verão e primavera de 2016. Acreditam, também, que é temerário contar com a proteção contra o Aedes aegypti representada pelo frio e secura do inverno do Rio de Janeiro. Pode haver imprevistos em relação à previsão do tempo para os próximos meses e, o calor e a chuva adiantando-se, os casos se multiplicariam durante as Olimpíadas.

O ponto em comum entre os dois grupos de especialistas diz respeito às mulheres grávidas: elas não devem vir ao Rio de Janeiro durante a Olimpíada!

O certo é que as medidas governamentais tomadas para conter o Aedes aegypti, mosquito vetor da zika, dengue e chikungunya, tem sido pouco eficazes em todo o país, mas suficientes para limitar os casos dessas doenças durante os Jogos Olímpicos. A aplicação de veneno para matar os mosquitos adultos tem sido regular e estão previstas até duas aplicações diárias nas instalações olímpicas. É uma medida eficaz, mas de curta duração, pois atua apenas sobre os mosquitos adultos, sem alterar a sua dinâmica da reprodução, que requer a eliminação dos criadouros. Também estão previstas campanhas educativas orientando o uso de vestimentas que cubram uma maior superfície do corpo, bem como a aplicação de repelentes nas áreas descobertas. Não está descartada a distribuição gratuita de preservativos, para reduzir a chance da propagação sexual da zika.

Autoridades da Organização Mundial da Saúde tem tranquilizado a população mundial quanto ao risco da zika para os que vierem ao Brasil durante os jogos. O certo é que as Olimpíadas ocorrerão durante o inverno e nessa época a natureza dá conta do que a imprudência e a falta de iniciativas regulares das autoridades sanitárias não deram conta; o Aedes estará controlado.

O certo também é que, passados as Olimpíadas e retornando o tempo das chuvas e do calor, a partir de outubro, a população do Rio de Janeiro voltará a enfrentar os mosquitos e, com eles, as três pestes por eles transmitidas, zika, dengue e chikungunya. As epidemias de 2017 são geradas na ausência de medidas consistentes de combate à doença no inverno de 2016.


Rodolpho Telarolli Jr. é médico, doutor em Saúde Coletiva e professor da Faculdade de Ciências Farmacêuticas da Unesp em Araraquara.

POR FABIANA MANFRIM
Continue lendo >> Deixe seu comentário
22 de junho de 2016
Alunos da Escolinha Municipal de Judô “Mauro Sakai” recebem uniformes do Programa Atleta do Futuro
,



Alunos da Escolinha Municipal de Judô “Mauro Sakai” recebem uniformes do Programa Atleta do Futuro



A entrega foi realizada pelo Prefeito Gilson Fantin, o Secretário Municipal de Esportes, Djalma dos Santos e os senseis Thayane e Kazuo

Nesta segunda-feira, 20/06, no CRAS do Bloco B, foi realizada a entrega dos uniformes do Programa Atleta do Futuro, do SESI, aos alunos da Escolinha Municipal de Judô "Mauro Sakai", dos três polos: Bloco B, ACER e Mário Covas.

Alunos da Escolinha Municipal de Judô “Mauro Sakai” recebem uniformes do Programa Atleta do Futuro

Muitos pais e responsáveis prestigiaram o evento. O Prefeito Gilson Fantin fez questão de estar presente e parabenizar o empenho dos alunos e professores, além da dedicação dos responsáveis por incentivar suas crianças a seguir o caminho do esporte.

Estiveram presentes também o Secretário Municipal de Esportes, Djalma dos Santos, e os senseis Thayane e Kazuo. "A chegada destes novos uniformes motivam ainda mais os alunos a frequentarem as aulas. Mesmo nestes dias mais frios, a frequência tem sido muito boa. Ainda temos vagas para novas inscrições. Basta procurar a Secretaria de Esportes, localizada no Centro Social Urbano", comentou o sensei Kazuo Yoshimura.

INFORMAÇÕES – Secretaria Municipal de Esportes: 3821.3124 / 3822.5088. 
Continue lendo >> Deixe seu comentário
 
Google+
Facebook
Recomende-nos no Google
Link-me
O Vale do Ribeira - Notícias, Histórias, Curiosidades, Culinária e informações sobre a região do Vale do Ribeira.

O Vale do Ribeira Copyright © 2011 | Design by: [ Camilo Aparecido Almeida ] | Movido a: [ Blogger ]