Receba Grátis Noticias do Vale do Ribeira.
19 de fevereiro de 2017
PRF flagra homem com 75 quilos de frangos saqueados em acidente na Régis Bittencourt
,
PRF flagra homem com 75 quilos de frangos saqueados em acidente na Régis Bittencourt


Na noite de terça-feira, 14, uma equipe da Polícia Rodoviária Federal foi acionada para atendimento de um acidente do tipo tombamento na rodovia Régis Bittencourt em Miracatu. 

PRF flagra homem com 75 quilos de frangos saqueados em acidente na Régis Bittencourt

Um outro veículo com aproximadamente 275 quilos de frango foi abandonado


Na ocasião, algumas pessoas que se encontravam no local do acidente promoveram o saque da carga, foi acionada uma outra equipe da PRF para apoio, a qual prendeu em flagrante um homem de 37 que transportava em seu veículo a quantidade de 75 quilos de frangos congelados. Na ocasião um outro veículo, Fiat/uno foi abandonado e ao fazer vistoria os policiais encontraram 275 quilos de frango da mesma carga. No interior do veículo foram encontrados documentos que possibilitam a identificação do proprietário.







Os dois veículos, os cerca de 350 quilos de frango e o homem preso foram conduzidos à delegacia de polícia civil.

Saque de carga configura crime de furto, art 155 do código penal brasileiro
Continue lendo >> Deixe seu comentário
PRF prende traficante que vendia drogas a caminhoneiros em Miracatu
,
PRF prende traficante que vendia drogas a caminhoneiros em Miracatu


Na madrugada desta sexta feira (17 de fevereiro), após receber denúncia anônima, agentes da Polícia Rodoviária Federal prenderam em flagrante um homem que vendia drogas num bar, localizado num posto de combustíveis no município de Miracatu, frequentado por caminhoneiros e moradores da região.

Após receber a denúncia, os policiais realizaram uma ronda pelo local. Por volta da 1 hora da manhã perceberam que um homem caminhava entre os veículos estacionados no pátio do posto. Ao observar a chegada da viatura, o homem jogou no chão uma sacola que carregava. 









Dentro da sacola, os agentes da PRF encontraram 15 pinos grandes de Cocaína e R$ 837 reais em notas variadas. Questionado, o homem disse que a droga e o dinheiro não eram seus. Durante a abordagem, diversos veículos da cidade e alguns caminhões saíram do local, mas com eles nada de irregular foi encontrado.


Após o registro do flagrante por Tráfico de Entorpecente e da apreensão da droga e do dinheiro, o homem foi recolhido ao sistema carcerário da região. A pena para quem é pego traficando é de até 15 anos de reclusão e 1500 dias-multa.
Continue lendo >> Deixe seu comentário
Programa Escola da Família em ritmo de Carnaval na Escola Yolanda em Cananéia
,
Programa Escola da Família em ritmo de Carnaval na Escola Yolanda em Cananéia


Oficinas de máscaras de entrudo e de E.V.A., elaboração de sambas-enredo a partir de oficinas de leitura, desenhos temáticos, painéis e até ensaio de bateria

        
O PEF – Programa Escola da Família da Escola Estadual “Professora Yolanda Araújo Silva Paiva”, da cidade de Cananéia, da DER REG – Diretoria de Ensino da Região de Registro-SP, passou o mês de fevereiro com atividades temáticas de Carnaval.










Programa Escola da Família em ritmo de Carnaval na Escola Yolanda em Cananéia


Para tanto, no sábado (21/01) e no domingo (22/01) a vice-diretora Elaine Marques, juntamente com os educadores voluntários Liane Borlin Barbosa, Márcio Luís Barroso e Vinícius Barbosa Rangel realizaram a organização do espaço, confeccionaram o painel de atividades com o tema.


Nos finais de semana de quatro e cinco, 11 e 12 e 18 e 19 de fevereiro a Unidade abriu para a utilização da comunidade, das 09h às 17h, com diversas atividades temáticas de Carnaval, sendo Comunidade Leitora com tema Carnaval, contando com leitura sobre a origem e poesias temáticas, culminando com a produção de duas poesias que viraram samba-enredo, que podem ser conferidos no canal do youtube: 







Ministrada pela vice-diretora do PEF YASP; Oficina de Desenho e Pintura com o tema Carnaval, Oficina Artística com tema Carnaval com a confecção de máscaras com retalhos de E.V.A., ministrada pela educadora universitária Andréia Ribeiro Viotti aos sábados, das 15h às 16h; Oficina de Máscaras de Entrudo (máscaras tradicionais do carnaval antigo de Cananéia), com a utilização de moldes de argila, cola caseira e retalhos de jornal, ministrada pelo educador voluntário Neyton João Pontes, aos domingos das 15h às 17h, que também realizou uma apresentação no primeiro dia de oficina no Auditório sobre a história do carnaval em Cananéia; além de uma grande parceria com o Bloco Afoxé Tiduca, que no sábado, dia 18, realizou oficinas de confecção de chapéus de E.V.A. para a bateria e de tingimento de abadás, além de realizar uma apresentação de Maracatu, com cortejo e ciranda na Unidade Escolar. Vale ressaltar que durante todo o mês de fevereiro as atividades foram ao som ambiente de marchinhas de carnaval antigas, axé e sambas-enredo.





Continue lendo >> Deixe seu comentário
Turismo sustentável: uma equação difícil de ser fechada
,
Turismo sustentável: uma equação difícil de ser fechada


A Organização das Nações Unidas declarou que 2017 é o ano Internacional do Turismo Sustentável, mas, o que isso significa? Por quais motivos essa temática é importante? O que é Turismo Sustentável?

O planeta tem aproximadamente sete bilhões de pessoas e dessas cerca de um bilhão realiza viagens. Porém, o turismo não se encontra apenas nas viagens, a profissão de turismólogo engloba também o setor de eventos, meios de hospedagem, agenciamento de viagens, alimentos e bebidas, transporte aéreo, marítimos, ferroviário e rodoviário, ecoturismo, mercadologia e estratégias públicas e privadas além das áreas de preservação de espaços naturais tais como parques, reservas ecológicas, patrimônio material e imaterial entre outras possibilidades.









Ao se entender que o turista é aquele que movimenta-se para além de seu espaço de origem e consome deslocamento, alimentação, bebidas, estadia, cultura, lazer, infraestrutura básica (rodovias, segurança, saúde, comunicação, entre outros), dança, música, história, entre outros, observamos que as viagens compõem apenas uma parte do que vem a ser o turismo e não considera o verdadeiro tamanho do exército de pessoas e organizações que trabalham no setor ao redor do mundo e por decorrência seus impactos.

É preciso observar que não existe atividade turística sem impacto nos locais que acomodam algum tipo de atrativo, seja uma festa regional, um passeio a museu, a locação de uma chalana, a compra de peças artesanais, uma caminhada, cavalgada, pescaria, desfrute em um cruzeiro ou na beira de uma bela praia. O fato é que onde existe o turismo os espaços são impactados de modo positivo ou negativo pela atividade.
Os impactos positivos mais facilmente observáveis - que não constituem regra – são:  geração de emprego e renda, em alguns casos preservação dos espaços, tradições e da história, melhoria da qualidade de vida dos autóctones (originários de uma localidade), programas sociais, ambientais e/ou financeiros entre outros.

Os impactos negativos, mais visíveis são: exploração de mão-de-obra, impactos ambientais negativos, degradação dos espaços, politicagem, degradação social e/ou econômica entre outros.

Por sua vez, sustentabilidade tem sido um tema discutido de modo recorrente nas últimas décadas e significa de modo simples o equacionamento de uma oferta que permita o equilíbrio entre o ambiente natural, os aspectos sociais e a necessidade econômica, ou seja, uma oferta que não agrida o meio ambiente, não gere exploração ou degradação de pessoas e que seja economicamente viável.

Esse é um conceito puro e livre das situações impactantes geradas pelos mais diversos grupos de interesses, como por exemplo, as pessoas querem receber por seus serviços, os empresários querem lucro pelo investimento e risco que correm, o governo quer seus impostos, o turista quer a melhor experiência que puder ter pelo tempo e dinheiro que está despendendo, o peixe e o macaquinho querem continuar vivos depois do contato com o humano ou seja, todos querem ganhar sempre. Deu para perceber que essa equação é muito difícil de ser fechada com todos os envolvidos ganhando.

Desse modo, ao se pensar em turismo sustentável, se está pregando que a atividade que movimenta e impacta positivamente nas economias mundiais precisa ponderar todos os elementos que envolvem uma oferta. Perguntas como: 1)    De que modo se tratará os resíduos gasosos, sólidos e líquidos de um empreendimento?;
2) De que modo o ambiente (fauna, flora, espaços e componentes) podem ser menos impactados ou de que forma mitigar esses impactos?; 3)    Como melhorar a qualidade de vida dos colaboradores da empresa e também da população?; e 4) Como obter lucro sem explorar pessoas e meio ambiente?

Essas e tantas outras perguntas fazem emergir o entendimento dos motivos que levaram a ONU a declarar 2017 como o ano do Turismo Sustentável. A massa de pessoas se deslocando e consumindo gera impactos de ordem gigantesca em todos os sentidos.

Vamos imaginar a quantidade de garrafas de água que um bilhão de pessoas consomem. Imagine a quantidade de papel gerado por bilhetes ou ingressos para entrada em atrativos como parques, museus, mostras, meios de transporte e tantos outros.  Todos os números são grandiosos, mas o modo de acomodar esses impactos ainda é tratado, em grande parte dos casos, como antigamente: o resíduo que eu gero deixa de ser meu problema quando eu o coloco em uma lata de lixo.

Ter consciência social, ambiental e econômica sentado em uma confortável poltrona ou sofá ou mesmo compartilhando algo pelas redes sociais não nos torna cidadãos preparados para a nova era. Talvez, pequenas ações no nosso micro espaço de preservação e conservação sejam um primeiro passo.

Como modo de ilustrar, me recordo de uma lição que presenciei quando criança. Na praia, um senhor fumava e tomava uma lata de refrigerante na areia. Ao terminar seu refrigerante ele colocou o resto do cigarro dentro da lata e atirou no mar. Todas as pessoas ficaram olhando imóveis aquele ato de falta de educação, de consciência e por que não dizer de vergonha na cara. Um salva vidas correu para o mar e recuperou a lata e a entregou ao senhor dizendo: isso lhe pertence. Tenha o capricho de jogar em uma lixeira.

Essa, foi para mim, uma das maiores lições quando o tema é sustentabilidade e responsabilidade individual.
Sobretudo, é preciso pensar e agir sobre espaços e situações e o Turismo é uma janela aberta de possibilidades de transformação de ideias, processos, lugares e sobretudo de pessoas.

Para além das palavras, o momento é de planejar e agir.

Fábio Luciano Violin é Doutor em Meio Ambiente e Desenvolvimento Regional. Coordenador e professor do curso de Turismo da Unesp – Câmpus de Rosana. E-mail para contato: violin@rosana.unesp.br
Continue lendo >> Deixe seu comentário
17 de fevereiro de 2017
HOMENS DE SAIA: QUEM DISSE QUE SAIA É COISA DE MENINA?
,

HOMENS DE SAIA: QUEM DISSE QUE SAIA É COISA DE MENINA?


A saia foi uma das primeiras vestimentas usadas pelo ser humano. E se por muito tempo se restringiu às mulheres e no máximo que víamos ou ficávamos sabendo era que somente o Escocês a usavam, isso tem mudado muito.

A peça que faz muito sucesso no verão entre as mulheres, está conquistando cada vez mais os homens.


Seja pela igualdade de gêneros, a luta do feminista ou contra a homofobia, o tem se visto pelas ruas das grandes cidade, são homens, heteros, que gostam de usar a saia no seu dia, dia. 









Enquanto alguns olham torto, desconfiando masculidade, outros  apoiam e acham bonito. Este foi o resultado da matéria que o repórter Rudnei Vieira e o humorista Emerson Ceará, fizeram pela Rede Massa - SBT, em Curitiba, capital Paranaense.







VT que deu pico de 8.6 de ibope e incomodou a poderosa Globo.



Veja  a matéria completa. https://goo.gl/okLCR0
Continue lendo >> Deixe seu comentário
OFICINAS DE TRANSMISSÃO DE SABER DA AAPCI, FIZERAM PARTE DA PROGRAMAÇÃO DO FESTIVAL “IGUAPE VERÃO 2017”
,


OFICINAS DE TRANSMISSÃO DE SABER DA AAPCI, FIZERAM PARTE DA PROGRAMAÇÃO DO FESTIVAL “IGUAPE VERÃO 2017”

A Associação dos Artesãos e Produtores Caseiros de Iguape — AAPCI, em parceria com a prefeitura de Iguape, ofereceu, nos finais de semana durante o Festival “Iguape Verão 2017”, oficinas de transmissão de saber, shows e comida tradicional caiçara no Mercado de Artesanato e Cultura.

OFICINAS DE TRANSMISSÃO DE SABER DA AAPCI, FIZERAM PARTE DA PROGRAMAÇÃO DO FESTIVAL “IGUAPE VERÃO 2017”
Em continuidade as atividades do projeto Gerando renda, motivando cidadãos, a AAPCI em parceria com o Departamento de Cultura, Turismo, Eventos e Esportes da prefeitura de Iguape, idealizou uma programação especial de verão.








Durante o Festival “Iguape Verão 2017”, no Mercado de Artesanato e Cultura, houve além de oficinas de artesanato, shows, exposições, lançamento de livro e a tradicional comida caiçara no “Cantinho Caiçara”.

OFICINAS CURTAS, MAS PRÁTICAS – As oficinas começaram no dia 19 de janeiro e foram até o dia 4 de fevereiro, como conta o artesão e associado da AAPCI, Nelson Akyo Nishidate:

“Eu fui convidado para fazer duas oficinas para o Festival “Iguape Verão 2017”; e iniciei a programação com a oficina de tear em papelão. Como eu trabalho com cartonagem e sou muito curioso, eu pesquisei sobre o tear de papelão e ministrei duas oficinas. As oficinas foram pequenos workshops de apenas duas horas cada e foram apresentadas de uma maneira rápida, prática, fácil e econômica”, diz o artesão. “Com o tear em papelão, as pessoas podem trabalhar com qualquer tipo de papelão desde que seja firme e o resultado é praticamente o mesmo que usar um tear normal”, explica Nelson. 

“Além da oficina de tear, nós tivemos, com outros artesãos, oficinas de: artesanato com fibra de bananeira, de flores com reaproveitamento de coador de café de papel, de pintura, de trançado de taboa e encerramos a programação das oficinas, no dia 4 de fevereiro, com a de Trançado em Cipó com o artesão José Roberto”, finaliza.

Além destas oficinas, houve também no dia 28 de janeiro o show do músico Packaw, no domingo 29, a tarde de autógrafo do livro “Noite Anã” do escritor Oswaldo Matsuda no Cantinho Caiçara e as apresentações de Maracatu com o Grupo Princesa do Litoral e da Orquestra Os Ribeirinhas Metais & Percussão no dia 4 de fevereiro.

Cantinho Caiçara, uma mais nova opção – Instalado no prédio da AAPCI, no Mercado de Artesanato e Cultura foi criado o Cantinho Caiçara – um local para se degustar as iguarias da culinária caiçara em Iguape e Ilha Comprida.

A artesã e associada da AAPCI Cida Pavarina aprendeu os pratos tradicionais da culinária caiçara após fazer a Oficina de Culinária Tradicional Caiçara com Cleide Carneiro pelo Projeto Gerando renda, motivando cidadãos, realizada em novembro passado e, junto com a artesã Taty, idealizou o Cantinho Caiçara, onde oferecem desde as porções mais simples como a manjuba frita, iscas de peixe e camarão empanado, como as porções especiais do cheff, com o irresistível casadinho de manjuba, moqueca de manjuba, bolinho de peixe, mandiocalho (mandioca cremosa) e outras porções deliciosas. Com uma visão incrível do Mar Pequeno, juntamente com a degustação dos deliciosos pratos, é possível apreciar a beleza natural da paisagem e vislumbrar uma série de pássaros da região como: o Guará Vermelho, o Colhereiro, o Frango D´água, Garças, Biguás, Martins Pescadores entre outros.

Além deste extenso cardápio, para aqueles que quiserem algo especial, é possível, também, agendar previamente pratos mais sofisticados da culinária caiçara, como o Arroz Lambe-Lambe, Tainha Recheada, Peixe na Folha de Bananeira, Paella e outros.
O Cantinho Caiçara é localizado no Mercado de Artesanato e Cultura (antigo CITUR) na baixada do Mar Pequeno na Avenida: Princesa Isabel, 708 e funciona às sextas, sábados e domingos a partir das 12:00 horas.

Inscrições e informações:
Os interessados em participar das palestras e oficinas do Projeto Gerando renda, motivando cidadãos e podem entrar em contato pessoalmente no Mercado de Artesanato e Cultura ou pelo telefone: (13) 3841-1016. As inscrições são gratuitas, mas limitadas.

O projeto Gerando renda, motivando cidadãos, é coordenado e executado pela Associação de Artesãos e Produtores Caseiros de Iguape – AAPCI, com o patrocínio da Petrobras.


A Petrobras, por meio do PPSA, patrocina 13 projetos sociais do litoral paulista, incluindo o Vale do Ribeira. O investimento é de R$ 3,8 milhões, no período de dois anos, para iniciativas dos municípios de Iguape, Ubatuba, Cananéia, Ilhabela, Peruíbe, Bertioga, Caraguatatuba, São Sebastião, Cubatão, Guarujá, Itanhaém, Mongaguá, Praia Grande, Santos e São Vicente. No estado de São Paulo, a seleção pública contemplou 32 projetos socioambientais de 26 cidades paulistas, somando R$ 9,2 milhões em investimentos.
Continue lendo >> Deixe seu comentário
A “Policialização” das Forças Armadas no Brasil
,
A “Policialização” das Forças Armadas no Brasil


As Forças Armadas constituem convencionalmente um instrumento de política exterior de um Estado. 

O principal elemento que legitima formar, treinar e manter dois mecanismos distintos de emprego da força – militares e policiais – consiste menos em suas características operacionais e técnicas, do que em formas diferentes de resolução de conflito. 

Do modo em que  se constituiu o Estado moderno, o monopólio do uso da violência, do qual goza, lhe atribui uma dupla responsabilidade: garantir que o ordenamento jurídico interno funcione adequadamente, eliminando assim a violência letal como forma legítima de resolução de conflitos; e defender a unidade política de ameaças a sua existência, tendo a letalidade, neste caso, como meio plausível. 








Assim, as capacidades técnicas e operacionais das Forças Armadas e das policias estão subordinadas ao processo de legitimação do uso da força, e não o contrário. Tem-se um instrumento para salvaguardar a integridade física e moral dos cidadãos, e outro para garantir a existência do Estado.

A clara divisão que se estabelece em termos teóricos, evidentemente, não se observa na atuação e na regulamentação jurídica das instituições castrenses e policiais no Brasil. 

As Forças Armadas, além das históricas intervenções na política interna, foram, na quase totalidade das constituições nacionais, imbuídas da prerrogativa de garantir a lei, a ordem e os poderes constitucionais. As policias militares, por sua vez, denunciadas pela alta letalidade de suas ações, são, de acordo com o sexto parágrafo do artigo 144 da Constituição de 1988, forças auxiliares do Exército. Deste modo, nota-se a atribuição de uma dupla funcionalidade aos dois instrumentos de força do Estado brasileiro, deixando pouco claro para qual tipo de emprego da violência estes devem ser preparados e mantidos.

A problemática de longa data, ganhou destaque nas últimas semanas devido à crise de segurança pública que se estabeleceu no estado do Espirito Santo, diante do aquartelamento dos policiais militares. Na ocasião, familiares dos policiais, reivindicando melhores condições de trabalho e reajuste salarial, bloquearam o acesso dos batalhões. Frente à onda de violência que tomou o estado, as Forças Armadas foram acionadas, sob a prerrogativa da Garantia da Lei e da Ordem (GLO).

São dois os dispositivos legais através dos quais o instrumento militar é alocado em atividades de segurança pública: o artigo 142 da Constituição Federal; e a Lei Complementar 97/99. O primeiro, atribui às instituições castrenses a função de garantir a lei e a ordem, enquanto a segunda determina que este tipo de atuação deve ocorrer de maneira excepcional, quando o presidente da República, comandante supremo das Forças Armadas, considerar que os instrumentos de segurança pública estão esgotados.

Até o momento, a mobilização das tropas federais, ainda que constante, e não episódica, como determina a Lei Complementar, buscava justificativa na situação de emergência. A novidade surgiu no dia 14/02/17, quando o presidente, Michel Temer, aprovou o envio de um efetivo de 9 mil homens para a cidade do Rio de Janeiro, após o pedido do governador, Luiz Fernando Pezão. O ministro da Defesa, Raul Jungmann, declarou de modo taxativo que a denominada Operação Carioca tem caráter preventivo, uma vez que não há uma crise no policiamento da cidade. Se não se considera que os meios destinados à garantia da segurança pública estão esgotados, pode-se questionar então a validade legal da operação. Para além de uma possível inconsistência jurídica, a declaração de Jungmann expõem a banalização do emprego das Forças Armadas.

Há um amplo espectro de críticas à “policialização” do instrumento militar, como a desprofissionalização das Forças Armadas e o estabelecimento de inimigos internos, legitimando o uso desproporcional da força contra a população civil. No caso aqui em questão, tem-se um elemento particularmente preocupante. Segundo os periódicos, no pedido enviado ao governo federal, Pezão solicitou o deslocamento de tropas para as imediações da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj), onde protestos conta medidas de austeridade, que estão em votação, tem resultado em confronto entre manifestantes e a polícia. Jungmann declarou que as tropas não serão enviadas para a Alerj, mas que a atuação das Forças Armadas deve liberar parte do efetivo da Política Militar, que poderá ser deslocado para áreas que se encontrem em situação crítica.

Diante de um quadro em que, o aparato militar do Estado – destinado a lidar com um espaço no qual a violência letal constitui um instrumento aceitável de resolução de conflito – é mobilizado para atuar de forma preventiva na garantia da lei e da ordem interna, é premente um sério debate público acerca da legitimidade do uso da violência.

David Succi Junior é Mestrando em Relações Internacionais pelo Programa de Pós-Graduação San Tiago Dantas (Unesp - Unicamp - PUC/SP). Graduado em Relações Internacionais pela Unesp, Câmpus de  Franca. Pesquisador do Grupo de Estudos de Defesa e Segurança Internacional (GEDES) da Unesp.
Continue lendo >> Deixe seu comentário

Contato (13) 3821-6148

Manutenção de celulares - Técnico de Informática

20 Mega de Internet

20 Mega de Internet na Infovale
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
 
Cotação da Banana
Cotação da Banana
15 a 22 de fevereiro

WhatsApp do Site

WhatsApp do Site
Google+
Autor
Facebook
Recomende-nos no Google

APP Notícias do Site

APP Notícias do Site

TV Ilha Comprida

TV Ilha Comprida
DMCA

Eventos Acer (RBBC)

Eventos Acer (RBBC)

Quadrinhos Registro da Colônia Japonesa

Quadrinhos Registro da Colônia Japonesa

Receitas do Vale

Receitas do Vale

pagead

O Vale do Ribeira Copyright © 2011 | Design by: [ Camilo Aparecido Almeida ] | Movido a: [ Blogger ]