História do circo brasileiro inspira criação de espetáculo com elementos memoráveis do picadeiro e oficina cultural História do circo brasileiro inspira criação de espetáculo com elementos memoráveis do picadeiro e oficina cultural
Siga nosso Canal no Whatsapp

História do circo brasileiro inspira criação de espetáculo com elementos memoráveis do picadeiro e oficina cultural

A memória cultural do circo brasileiro é a referência da obra ‘Carrinha de Meleca’, que estreia agora em maio com três apresentações gratuitas no litoral e na grande São Paulo. 

O número foi criado pela artista e produtora Yvie Tinoco, a partir de uma das cenas clássicas do palhaço Torresmo, herança da família circense Queirolo. As exibições serão nas unidades da Fábrica de Cultura de Santos (dia 14), Iguape (17) e Diadema (23), às 14h. 

Em Santos, acontecerá também a Oficina Produção de Memória do Artista (dia 18), das 10h às 13h. O projeto é um dos contemplados no edital do ProAC (Programa de Ação Cultural do governo estadual de São Paulo).

Após seis meses de montagem, Yvie está pronta para lançar a obra repleta de memórias e elementos tradicionais do circo, para dar vida à nova história da palhaça Meleca. 

Desta vez, ela representa uma mecânica que fica extasiada ao encontrar uma raridade: a carrinha de corrida que sempre foi fã e agora precisa de vários reparos. 

A obra mostra a missão da palhaça em recuperar o veículo, que se desenrola com muitas cenas engraçadas. Não faltam dança e comicidade física na obra que termina com Meleca pilotando a carrinha numa corrida cheia de emoção.

Quando a obra termina, Meleca dá vez para a Yvie bater papo com o público sobre a inspiração deste número e a importância da palhaçaria e do circo como elemento cultural a ser preservado. “Através da arte circense, procuro misturar tradição e contemporaneidade ao meu ofício de mulher palhaça. Sempre reverenciando quem veio antes.” explica a artista.

Yvie investiu em pesquisas de números clássicos para descobrir referências perdidas ou esquecidas ao longo do tempo, como técnicas e ensinamentos da cultura oral que eram populares no passado e hoje em dia pouco praticadas. 

“Isso pode ajudar a enriquecer o repertório dos artistas circenses e a incentivar a pesquisa e a experimentação dentro do universo do circo”, acrescenta a atriz.

Oficina memorável - Em Santos, a arte-educadora ministrará a oficina ‘Produção de Memória do Artista Circense’. Será no dia 18 de maio, das 10h às 13h, com oferecimento de 30 vagas.

A aula acontecerá na Fábrica de Cultura para artistas, pesquisadores, estudantes de artes cênicas e interessados em geral, que tenham mais de 15 anos. Inscrições podem ser feitas pelo link da bio do perfil @artesaniadoencanto

Na oficina haverá análise da metodologia de registro da memória biográfica de circenses tradicionais brasileiros e da própria oficineira, com o processo de montagem de seu espetáculo solo de rua e da produção independente do Festival Circo de Rua - Rio das Ostras. 

Os participantes farão análises de livros de memória e autobiografias de circenses tradicionais do Brasil, estudarão exemplos de diários de bordo, conceitos sobre o papel do narrador e de protagonismo da própria história.

Todos serão convidados a aplicar os recursos para serem os autores da sua própria narrativa e colocar em prática os conceitos estudados. 

O objetivo é que eles produzam os próprios materiais e, desta forma, garantimos a perpetuação de suas contribuições para a História. “Ao promover a palhaçaria e o riso como formas de transformação social, estamos valorizando a cultura popular e as artes, e contribuindo para a construção de uma sociedade mais inclusiva e vibrante”, comenta Yvie.

Yvie Tinoco - Natural de Santos, tem 34 anos, atua há 17 como atriz. É também palhaça, produtora cultural, arte-educadora, pesquisadora, rabequeira e empreendedora digital. Atualmente, circula com o espetáculo solo de ´O Mergulho´ e é artista-criadora e fundadora da Cia. Artesania do Encanto, onde pesquisa a palhaçaria, arte de rua, cultura popular e teatro lambe-lambe (2019 - 2024).

Foi artista-criadora da cia. Das Dores Circo Teatro (2015 e 2019); trabalhou no programa Sou de Circo do Centro de Memória do Circo, atuando com pesquisa e museologia do circo brasileiro; é formada como educadora brincante no Instituto Brincante; e bacharel em Produção  Cultural  pela  Universidade  Federal  Fluminense e atriz pela Escola Livre de Teatro.


SERVIÇO:
Número circense - ‘Carrinha de Meleca’
Artista - Yvie Tinoco
Direção artística - Geisa Helena
Cia Artesania do Encanto

Data: 17/05
Horário: 14h
Local: Fábrica de Cultura de Iguape

Data: 23/05
Horário: 14h
Local: Fábrica de Cultura de Diadema

Oficina: Produção de Memória do Artista
Data: 18/05
Horário: 10h às 13h
Vagas: limitadas (a partir de 15 anos)
Local : Fábrica de Cultura de Santos

Ficha Técnica de ‘Carrinha da Meleca’:
Atuação e concepção: Yvie Tinoco
Direção artística: Geisa Helena
Dramaturgismo: Jéssica Alves
Cenário: Lua Nucci e Du Fraga
Adereços: Lua Nucci
Figurino: Maria Zuquim
Traquitanas: Dudu do Circo
Consultoria em pesquisa de memória circense: Julia Campos
Trilha Sonora: Ivan Alves
Costureira: Rita
Identidade visual: Lua Nucci
Ilustração: Daniel Meirelles
Arte gráfica: Yvie Tinoco
Coordenação: Cia Artesania do Encanto
Produção: Juliana Bordallo
Técnico de som: Rafael Rouxinol
Foto e vídeo: Ugo Castro Alves
 
CONTATO COM A ATRIZ:
Yvie Tinoco
(13) 99607-5999
@yvietinoco
@artesaniadoencanto
yvieproduz@gmail.com

História do circo brasileiro inspira criação de espetáculo com elementos memoráveis do picadeiro e oficina cultural
História do circo brasileiro inspira criação de espetáculo com elementos memoráveis do picadeiro e oficina cultural


Postar um comentário


Seu comentário é sempre bem vindo!

Comente, opine, se expresse! este espaço é seu!

Comentário Anônimo, sem nome e email , não será publicado.

Se quiser fazer contato por email, utilize o Formulário para contato

Espero que tenha gostado do Site e que volte sempre!

Postagem Anterior Próxima Postagem