Verde Vale Verde Vale - O Vale do Ribeira

Técnico Informatica

Técnico Informática Registro

Verde Vale


Não vejo razão em gastar a preciosa fita de minha máquina de escrever para discorrer sobre o abandono do Vale do Ribeira, causado pela falta de zelo do Governo Estadual.

Verde Vale
 foto ilustrativa


 Não quero também gastar a sua paciência, estimado leitor, para alcunhar a nossa região de miserável, desgraçada e outros pejorativos mais.

 

Vamos deixar de lado esses aspectos altamente negativos e consideremos apenas o lado positivo da questão: o Vale do Ribeira é potencialmente rico – pelo menos rico em recursos naturais. E isso deve ser considerado.

 

Temos ouro em larga escala em Eldorado e Iporanga (isso é o que diz a imprensa); em Jacupiranga se localiza aquilo que podemos chamar de polo industrial (Serrana, Quimbrasil, Rhodia, etc); em Iguape e Cananeia concentra-se o polo pesqueiro da região (e agora, com o recente fechamento do Valo Grande, a fauna marinha da região lagunar compreendida entre esses dois municípios se restabeleceu, voltando a ser o maior viveiro natural marinho do mundo).

 

Trocando em miúdos, o nosso verde Vale tem condições de progredir, sem ter de depender da ajuda governamental (quando ela vem). O certo seria explorarmos os recursos naturais do Vale do Rio Ribeira de Iguape, pois temos esses recursos em grande quantidade.

 

Não adianta, portanto, chorar, lamentar a situação atual do Ribeira. O momento não está para choro, mas sim para realizações. Vamos parar de chamar a nossa região de “Vale da Miséria” e lutemos pelo seu desenvolvimento. O verde Ribeira merece o nosso amor e dedicação. É preciso nascer no Vale para saber amá-lo, respeitá-lo. E ser valerribeirense não é humilhação nenhuma. Somos pobres mas somos ricos: temos condições de nos desenvolver!

 

(Crônica publicada há 40 anos em “A Tribuna do Ribeira”, em sua edição de 15 de julho de 1981).

 

 

ROBERTO FORTES

ROBERTO FORTES, escritor e poeta, é licenciado em Letras e autor do livro de contos “O Tucano de Ouro - Crônicas da Jureia” (2012), além de centenas de crônicas e artigos publicados na imprensa do Vale do Ribeira.  E-mail: robertofortes@uol.com.br

 

(Direitos Reservados. O Autor autoriza a transcrição total ou parcial deste texto com a devida citação dos créditos).


Confira todas as crônicas do Alfarrábios


 

Postar um comentário

0 Comentários