Técnico Informatica

Técnico Informática Registro

A história de Eldorado por Miguel França de Mattos









Os primórdios de Eldorado (SP), a antiga Xiririca, confundem-se com o início da mineração do ouro no Brasil. Desde meados do século XVII já havia cata de ouro na localidade de Ivaporunduva, conforme verificou o historiador anglo-brasileiro Ernesto Guilherme Young (1850-1914). A incipiente povoação, no entanto, somente foi oficializada em 19 de janeiro de 1763 quando se criou a Freguesia de Xiririca (uma jurisdição eclesiástica, modernamente equivalente a paróquia), mas administrativamente ainda pertencente à Vila de Nossa Senhora das Neves de Iguape, da qual se emancipou em 10 de março de 1842.

Capa do livro
Capa do livro

Miguel França de Mattos autografando seu livro.
 Miguel França de Mattos autografando seu livro.


Ao lado das vilas de Iguape e Cananeia, Xiririca formava a “tríplice aliança” das vilas mais importantes do Vale do Ribeira. Em Xiririca, viveu o abastado português (ou seria espanhol?), depois naturalizado brasileiro, Miguel Antônio Jorge, que pode ser considerado o “rei do arroz” do Vale do Ribeira em seu tempo. Sobre esse vulto regional, senhor da fazenda Caiacanga, consumida por incêndio em 1878, a imaginação popular criou histórias fantásticas, o que faz despertar ainda mais o interesse por esse controvertido personagem.

Já outro Miguel, este nascido em São Miguel Arcanjo (SP), mas com as suas raízes familiares em Eldorado e Iguape, oriundo das antigas linhagens Veras e França, brindou o leitor com livros de real importância para a história regional. Miguel França de Mattos é autor de “Cinema Paraíso - o Cine Teatro São Miguel”, lançado em 2003; “A Lagoa do Cedro e o Turvo da Lagoa - História e Genealogia da Família França de São Miguel Arcanjo (SP)”, de 2006; e “Histórias da Paróquia de São Miguel Arcanjo - 130 anos - Cronologia 1886-2016”, publicado em comemoração aos 130 anos da paróquia desse progressista município localizado na região metropolitana de Sorocaba (SP).

Só pela importância desses três trabalhos o seu autor já merecia entrar para a historiografia de São Miguel Arcanjo, Eldorado e região do Vale do Ribeira como um de seus historiadores mais importantes. E, agora, para coroar o seu incansável trabalho de pesquisador meticuloso, Miguel França de Mattos lança a monumental obra que leva o sugestivo título de “Eldorado, SP. A antiga Xiririca”, na qual resgata, com a competência que lhe é característica, a história da velha localidade que, como frisamos no início desta apresentação, nasceu nos primórdios da mineração do ouro em nosso país.

E Miguel vai mais além: na segunda parte do livro, fruto de fatigante pesquisa genealógica em velhos documentos carcomidos pelos cupins, livros antigos, jornais e antigos alfarrábios, traz à luz a gênese dos Veras, dos Franças e de antigas famílias valerribeirenses. É uma obra para ler com grande satisfação, saboreando cada página, cada informação, cada fato curioso, o que nos possibilita conhecer toda essa rica história regional como se a estivéssemos revivendo a cada página virada.

Tenho certeza que o leitor encontrará neste livro mais uma prova inegável do talento estilístico e historiográfico de Miguel França de Mattos, meu dileto amigo, leitor assíduo e assinante da “Tribuna de Iguape”, periódico mensal, histórico e cultural, que edito em Iguape (SP) desde 1995.

Boa leitura!

(Apresentação de Roberto Fortes ao livro “Eldorado-SP, a antiga Xiririca”, de Miguel França de Mattos, lançado em janeiro de 2020).  





ROBERTO FORTES,

ROBERTO FORTES, historiador e jornalista, é licenciado em Letras e sócio do Instituto Histórico e Geográfico de São Paulo.  E-mail: robertofortes@uol.com.br


(Direitos Reservados. O Autor autoriza a transcrição total ou parcial deste texto com a devida citação dos créditos).












Outras Histórias:

·       Adélia Victória Ferreira, de Sete Barras para a poesia nacional

·       A chegada da Família Real

·       A “maldição” do padre Caetano

·       A encantadora Vila do Prelado

·       A excursão de sir Richard Burton ao Vale doRibeira

·       A Freguesia de Registro

·       A expedição do rio Itariri

·       A história de Eldorado por Miguel França de Mattos

·       A incrível saga de Rita Galdino

·       A Musa Impassível

·       A sereia da Jureia

·       A tragédia do Quatinga

·       A velha e o porco

·       A vila de Ararapira

·       A vila do Ariri

·       Aconteceu em Cananeia

·       Alegrias e tristezas de um professor em Xiriricae Iporanga no início do século XX

·       Americanos Confederados no Vale do Ribeira

·       Antônio Paulino de Almeida, o historiador doVale do Ribeira e Litoral Paulista

·       Apiaí da Ribeira

·       Apontamentos sobre a Escravidão no Vale do Ribeira

·       Ary de Moraes Giani, o jornalista que lutou peloVale do Ribeira

·       As misteriosas ruínas do Itaguá

·       As profecias de Cananeia

·       As reinações do Saci

·       As Sete Barras de Ouro

·       A visita do Dr. Carlos Botelho ao Vale do Ribeira

·       Bom Jesus: a grande festa de Iguape

·       Conversando sobre o Bacharel de Cananeia

·       De Aurélio para Ambrosina

·       Eldorado: Uma História

·       Falares caiçaras

·       Feitiçaria e curandeirismo no Vale do Ribeira

·       Gerson de Abreu - um ator de talento

·       Henrique Bauer, o engenheiro alemão quedesbravou o Vale do Ribeira

·       História do Vale do Ribeira nas páginas dosantigos jornais

·       Histórias da Ilha Comprida

·       Iguape na Revolução de 1932

·       Iguape: uma história

·       Ilha Comprida: origens históricas

·       Ilha do Mar socorre Xiririca

·       Itapitangui

·       Ivaporunduva

·       Jacupiranga: Uma História

·       Juquiá: uma história

·       João Mendes, o poeta do Vale

·       Júlio César da Silva, um ilustre poeta do Vale

·       Katsura, a primeira Colônia Japonesa do Brasil

·       Lendas iguapenses

·       Marujá

·       Minas de Ivaporunduva

·       Moralidades ribeirenses

·       Morro do Votupoca

·       Na Ribeira da Poesia”, com o poeta Júlio Césarda Costa

·       Nos confins do Vale do Ribeira

·       Noziel Antônio Pedroso, o cronista de um povo

·       O acendedor de lampiões

·       O Bacharel de Cananeia

·       O Bacharel de São Tomé (e de Cananeia)

·       O Bacharel de São Tomé (ou de Cananeia?)

·       O Caiçarês: dicionário caiçara de Cananeia

·       O Caminho do Imperador

·       O ciclo do ouro no Vale do Ribeira

·       O desassossegado padre Moreau

·       O drama da pedra da paixão

·       O Forte de Mosquera

·       O Gracuí, símbolo da cidade de Registro-SP

·       O menino do Guaviruva

·       O mistério da Volta do Frade

·       O monstro que aterrorizou Cananeia

·       O naufrágio do padre João Eyró

·       O naufrágio do vapor Conde d´Áquila

·       O ouro de Iporanga

·       O pessimismo do general Arouche

·       O tesouro de Cananeia

·       O Trem de Juquiá

·       Os jesuítas no Vale do Ribeira

·       Paulo de Castro Laragnoit, o historiador deMiracatu

·       Piratas e Corsários no Vale do Ribeira

·       Rapazes espertos e mocinhas sonhadoras

·       Registro-SP: uma história

·       Ricardo Krone, o descobridor das cavernas doVale do Ribeira

·       Tardes ensolaradas na Jureia

·       Tragédia no Baissununga

·       Uma (quase) revolta de escravos em Iguape

·       Uma história de amor na vila de Iguape em 1648

·       Uma tragédia no vapor da Fluvial












Postar um comentário

0 Comentários