Técnico Informatica

Técnico Informática Registro

O Vale do Ribeira sua História, Turismo e Curiosidades

O Vale do Ribeira é uma região localizada no sul do estado de São Paulo e norte do estado do Paraná, área de 29 municípios ( 7 paranaenses e 22 paulistas), abrangendo a Bacia Hidrográfica do Rio Ribeira de Iguape e o Complexo Estuarino Lagunar de Iguape, Cananéia e Paranaguá.


Vale do Ribeira sua História, Turismo e Curiosidades
Vale do Ribeira sua História, Turismo e Curiosidades



Sua área de 2.830.666 hectares abriga uma população de 481.224 habitantes, de acordo com o Censo do IBGE de 2000 .




















Região do Vale do Ribeira lado do Estado de São Paulo


O Vale do Ribeira se divide em duas partes ,a primeira parte no Estado do Paraná onde o Rio Ribeira nasce e a outra parte do Vale do Ribeira no Estado de São Paulo onde o Rio Ribeira deságua no mar na Cidade de Iguape.

Municípios do lado Paulista: Apiaí, Barra do Chapéu, Barra do Turvo, Cajati, Cananéia, Eldorado, Iguape, Ilha Comprida, Iporanga, Itaóca, Itapirapuã Paulista, Itariri, Jacupiranga, Juquiá, Juquitiba, Miracatu, Pariquera-Açu, Pedro de Toledo, Registro, Ribeira, São Lourenço da Serra, Sete Barras 

Região do Vale do Ribeira lado do Estado do Parana

Municípios do lado Paranaense: Adrianópolis, Bocaiúva do Sul, Cerro Azul, Doutor Ulysses, Itaperuçú , Rio Branco do Sul e Tunas do Paraná.


A História da Região do Vale do Ribeira
Vale do Ribeira sua História, Turismo e Curiosidades


A ocupação do Vale do Ribeira teve início no século XVI, com a fundação dos povoados de Cananéia e Iguape por espanhóis e portugueses.

 Martim Afonso de Souza






A história da colonização do Vale do Ribeira e litoral também começaram em 1531, quando Martim Afonso de Souza ancorou seus navios na Ilha do Bom Abrigo, em frente à Ilha do Cardoso, onde deixou um marco, mas é possível que em expedições anteriores tenham aportado aí outros povoadores ibéricos que fundaram Cananéia, já em inícios do século XVI, seguida por Iguape.








A busca do ouro se iniciou já em 1531, quando Martim Afonso organizou uma expedição de 80 homens que subiu o Rio Ribeira e nunca mais retornou.. O ciclo do ouro começou, no entanto, por volta de 1550 quando foi encontrado ouro de aluvião no interior do Vale do Ribeira, na região de Apiai-Iporanga, no Alto Ribeira, Eldorado, no Médio Ribeira mas também em Cananéia e no litoral paranaense.





O resultado desse curto ciclo minerador foi o início do povoamento da área que seguia o curso do rio Ribeira até Apiaí e Iporanga. Parte desse ouro era fundida em Iguape (e Paranaguá), na casa da moeda ainda hoje existente e transformado em museu.



Museu de Iguape, antiga casa da moeda



As cidades estratégicas do Vale do Ribeira funcionavam como núcleos de apoio aos colonizadores, Iguape e Cananéia com seus portos facilitando a entrada de intercambio e de mercadorias que penetravam através do Rio Ribeira de Iguape e seus afluentes.

Memorial do Garimpeiro em Apiaí-SP






A mineração do ouro na região foi responsável pelo surgimento de várias cidades no Vale do Ribeira, muitas destas cidades como Apiaí surgiram pela migração de garimpeiros em busca de ouro. 







  • Século XVII


São descobertas as primeiras jazidas de ouro na região do Médio Ribeira. O precioso metal que resulta das lavagens na sub-bacia do Alto Ribeira, garimpado em Xiririca (atual Eldorado-SP) e Sete Barras-SP, é transportado em canoas e fiscalizado no Porto de Registro do Ouro (atual Registro-SP).



No século XVIII os garimpeiros abandonam a região do Vale do Ribeira ao receberam a notícia que o estado de Minas Gerais possuía abundância em ouro. Com a escassez do ouro na região a agricultura que era subsistência passou a ter maior valor na região. Com vasta experiência naval, a região passa construir embarcações para todo o país.


Ferrovia






A instalação de colonização de Pariquera-Açu e a construção de estradas de ferro ligando a região com o planalto e o porto de Santos (Santos-Juquiá), entre 1900 e 1920.





Registro-SP, Município situado no Vale do Ribeira, surgiu como um pequeno povoado à margem do Rio Ribeira de Iguape. Na época, explorava-se ouro no Alto Ribeira que era transportado pelo rio até o porto de Iguape, porém antes de seguir à Iguape-SP todas as mercadorias eram registradas por um agente de Portugal para cobrar o dízimo destinado à Coroa Portuguesa. 




Toori na praça Beira Rio em Registro-SP

Daí originou-se o nome Registro-SP. Ainda como povoado pertencente à Iguape, Registro começou a crescer à partir da chegada dos primeiros colonizadores japoneses, em 1913, sendo que neste período Registro-SP era o maior produtor de arroz do Estado de São Paulo. 

Somente em 30 de Novembro de 1944, pelo decreto lei nº 14.334, Registro emancipou-se de Iguape, tornando-se Município, cujas instalações deu-se em 1º de Janeiro de 1945.

Bon Odori em Registro-SP



A cidade de Registro-SP passa a ser o centro econômico da região. Com a imigração de japoneses, os bananais passam a ocupar as áreas ribeirinhas, substituindo o arroz, e a cultura do chá foi iniciada nas colinas .


Plantação de Bananas



Na década de 1960 foi construída a BR-116 alterando as formas de ocupação na região e incorporando-a ao mercado imobiliário com a valorização de suas terras. A região da bacia do Rio Ribeira, frente à economia do Estado de São Paulo, mesmo tendo em sua área dois municípios que iniciaram a ocupação do território paulista (Cananeia, em 1501 e Iguape, em 1538), continua com a mais baixa densidade populacional do estado de São Paulo e permanece à parte dos processos de desenvolvimento da economia paulista.


BR-116 - Rodovia Regis Bitencourt




No início do século XX, chegaram as primeiras rodovias ligando os principais núcleos à capital paulista, que proporcionou o deslocamento do eixo econômico para o centro e o norte do Vale, não sendo, contudo, suficiente para promover o desenvolvimento da região. 


Uma relativa reintegração econômica da porção paulista da região viria a ocorrer em meados do mesmo século, em especial a partir de 1940, momento em que a agricultura regional começou a ser incorporada à economia estadual com a implantação das culturas de chá e banana, graças à colonização nipônica. A partir da década de 1950, tomou vulto a exploração industrial do pinho, que absorveu a mão-de-obra liberada da cultura do chá, cuja produção entra em declínio.






Trata-se de uma área repleta de unidades de conservação ambiental e destaca-se no cenário nacional pela riqueza de recursos minerais e por ser a região que conserva o maior remanescente contínuo de mata atlântica. O sistema de drenagem é comandado prioritariamente pela Bacia Hidrográfica do Rio Ribeira de Iguape .

Rio Ribeira de Iguape


Do ponto de vista econômico, merecem destaque as atividades agrícolas para as culturas da banana , atividades pecuárias de rebanhos bovino e bubalino.

Expovale em Registro no Vale do Ribeira







As culturas temporárias de tomate e milho são as mais expressivas e concentram-se na área serrana. Entre as novas culturas esta a pupunha que vem crescendo ano a ano na região.





Patrimônio natural, socioambiental e cultural da humanidade, título conferido em 1999 pela Unesco, o Vale do Ribeira localiza-se entre os estados de São Paulo e Paraná, estendendo-se ao longo de 2 830 666 hectares (28 306 quilômetros quadrados) - 1 119 133 hectares no Paraná e 1 711 533 hectares em São Paulo. Trata-se da maior área contínua de Mata Atlântica do Brasil.





Fontes: