Trabalhadoras da Natureza da Ilha colhem macela, produto sustentável utilizado para chás, travesseiros e arranjos florais Trabalhadoras da Natureza da Ilha colhem macela, produto sustentável utilizado para chás, travesseiros e arranjos florais - O Vale do Ribeira

Técnico Informatica

Técnico Informática Registro

Trabalhadoras da Natureza da Ilha colhem macela, produto sustentável utilizado para chás, travesseiros e arranjos florais

Ilha Comprida - Com carteiras de trabalhadoras do extrativismo sustentável expedidas pela Associação de Manejadores de Plantas Nativas da Ilha Comprida (Ampic) , as extrativistas - também chamadas trabalhadoras da Natureza da Ilha- partem para o campo, neste mês de abril, para a colheita da Macela, erva da flora brasileira, conhecida por macela-do-campo, macelinha, macela de travesseiro, carrapichinho-de-agulha e camomila nacional.

Após a colheita, a Macela é seca e se transforma em sachês de chás calmantes, travesseiros medicinais, arranjos florais, naninhas de crianças e uma infinidade de produtos artesanais. A artesã e extrativista Darci Pupo destaca que a colheita segue as normas ambientais e conta com o apoio das artesãs de diferentes grupos de artesanato formados pelo Município e Fundo Social de Solidariedade (FSS).

“A colheita de Macela e os trabalhos artesanais são importante fonte complementar de renda para muitas mulheres das comunidades de Pedrinhas, Juruvaúva, Viaréggio, Ubatuba e Boqueirão Norte e envolve também integrantes do Instituto Renata Miguel. Após a colheita, cada uma trabalha em sua casa, vende particularmente ou coloca a produção nas lojas mantidas pelo FSS”, explica Darci. Para ela, trabalhar com a Natureza é um privilégio dos moradores tradicionais.

A extrativista Elizabeth Carneiro Ribeiro Alves destaca que seu trabalho une natureza, arte e é importante para a complementação de renda. A moradora de Pedrinhas, Rosilda de Camargo Teixeira, extrativista e pescadora, trabalha na natureza desde pequena:“Não troco por nada. É liberdade, a gente se sente bem, adoro plantas e a natureza”. Sua filha, Angélica Teixeira Miranda, mora em Juruvaúva, e também trabalha na venda de pescado, ostra e produtos sustentáveis. “Cresci assim. O extrativismo é uma oportunidade de complemento de renda para a gente. Em Juruvaúva, também temos ostras e peixes. Em lugar turístico, a gente faz um pouco de tudo”, afirma. A artesã e extrativista Claudete de Carvalho afirma que trabalhar na Natureza lhe traz tranquilidade, saúde e a mente mais tranquila.

Você pode encontrar os produtos com Macela e outros artigos artesanais produzidos pelos grupos de artesanato da Ilha nos seguintes locais :

Vila do Artesanato na Praça Boqueirão Norte - Estande do Fundo Social de Solidariedade

Loja do FSS - Vila de Pedrinhas

Loja de Arte- Terminal Rodoviário

Trabalhadoras da Natureza da Ilha colhem macela, produto sustentável utilizado para chás, travesseiros e arranjos florais


Postar um comentário

0 Comentários