Água da Sabesp que chega às torneiras no Vale do Ribeira passa diariamente por rígido controle de qualidade Água da Sabesp que chega às torneiras no Vale do Ribeira passa diariamente por rígido controle de qualidade - O Vale do Ribeira

Técnico Informatica

Técnico Informática Registro

Água da Sabesp que chega às torneiras no Vale do Ribeira passa diariamente por rígido controle de qualidade

Nesta terça-feira, 22 de março, é comemorado o Dia Mundial da Água. A data foi instituída em 1993 pela Organização das Nações Unidas (ONU) e tem como objetivo promover a conscientização sobre a importância do uso sustentável desse recurso para o planeta.Além de assegurar a disponibilidade e gestão sustentável da água e saneamento para todos, a Sabesp se preocupa com a qualidade do seu produto. A qualidade da água distribuída é monitorada diariamente em todas as etapas do tratamento.

No Vale do Ribeira, atualmente são 1.600 coletas/amostras e 16.000 análises de controle de qualidade realizadas mensalmente, em 60 sistemas (Poços e Estações de Tratamento de Água – ETAs) de água tratada e bruta. A automação e o controle de qualidade são essenciais para o melhor funcionamento do processo de tratamento.

Ao final do ano, o Controle de Qualidade da Sabesp totaliza cerca de 180 mil ensaios. De uma amostra é possível realizar de oito a dez análises. Para saber se a água está dentro dos padrões de potabilidade para consumo humano, são analisados: cor, turbidez, pH, condutividade, temperatura, cloro, flúor e bacteriologia, seguindo os padrões da legislação de órgãos fiscalizadores e do Ministério da Saúde. Hoje, o desempenho da Sabesp é superior ao que é determinado pela legislação.

O processo de controle de qualidade consiste na coleta diária em pontos pré-estabelecidos e alternados, para buscar a melhor representatividade da água, e amostras para análise laboratorial e manutenção dos padrões legais.

Também é desenvolvida rotina semelhante para o controle da qualidade nas 53 ETEs (Estações de Tratamento de Esgoto) e dos corpos d'água. O processo de tratamento de esgoto igualmente é submetido a um controle de qualidade e monitoramento mensal, o que permite avaliar a eficiência das atuais 53 ETEs da região de forma a garantir a boa qualidade dos efluentes lançados em rios e córregos. Hoje, a Sabesp está monitorando o esgoto além do que determina a lei.

Para garantir a qualidade das análises, entre 2020 e 2021, a Sabesp fez investimentos na região do Vale do Ribeira para aquisição de novos equipamentos laboratoriais como multiparametro, reatores, turbidimetros, incubadoras e câmaras de refrigeração, além de capacitar continuamente as equipes de gestão e técnica e possuir certificação do INMETRO – ISO 17025.

“Nossos mananciais não são poluídos e a captação é de água corrente, ou seja, a água bruta tem boa qualidade para o tratamento. As Estações de Tratamento de Água produzem e nós garantimos a qualidade até a caixa UMA. Nós controlamos a qualidade da água não só nas estações, mas nas redes também. A água produzida na ETA vai para os reservatórios, de lá para as redes, ramais, casas, comércios, escolas, hospitais etc. A mesma água, isto é um grande exemplo de inclusão e diversidade” afirmou o gerente da Divisão de Controle Sanitário da Sabesp, Nelson Colombo Junior.

É importante destacar que a qualidade da água ofertada e o tratamento de esgoto nos 23 municípios operados pela Sabesp no Vale do Ribeira contribuíram efetivamente na redução dos índices de mortalidade infantil nas cidades da região.

Água da Sabesp que chega às torneiras no Vale do Ribeira passa diariamente por rígido controle de qualidade





Postar um comentário

0 Comentários