Bananicultores poderão ter adubo orgânico mais barato em parceria com a Unesp Registro-SP Bananicultores poderão ter adubo orgânico mais barato em parceria com a Unesp Registro-SP - O Vale do Ribeira

Técnico Informatica

Técnico Informática Registro

Bananicultores poderão ter adubo orgânico mais barato em parceria com a Unesp Registro-SP

Articulação entre produtores e universidade foi coordenada pelo deputado federal Samuel Moreira com a Abavar

Bananicultores poderão ter adubo orgânico mais barato em parceria com a Unesp Registro-SP
Reunião da Maria Carmen com o coordenador da Unesp de Registro-SP



REGISTRO-SP – Os bananicultores do Vale do Ribeira deverão ter, em breve, acesso a um adubo orgânico produzido na própria região, em parceria com o campus da Universidade do Estado de São Paulo (Unesp) de Registro. A ideia surgiu da articulação do deputado federal Samuel Moreira (PSDB), após reuniões com representantes da Associação dos Bananicultores do Vale do Ribeira (Abavar), que reclamavam constantemente do preço elevado dos adubos químicos.

Na última quinta-feira, a assessora do deputado Maria Carmen Botelho se reuniu com o coordenador-executivo da Unesp Registro, professor Luiz Carlos Ferreira de Almeida, o Tuca, para tratar dos detalhes da construção de uma futura usina de compostagem no Vale.

Mas a articulação começou bem antes. Disposto a ajudar os bananicultores da Abavar a enfrentar a alta de preços de adubos orgânicos, decorrentes também da alta do dólar, o deputado se reuniu com o reitor da Unesp, Pasqual Barretti, para pensarem juntos em uma solução que unisse a pesquisa acadêmica às necessidades da economia local. “Esta interação entre universidade e comunidade é muito importante. Foi por isso que lutei por um campus em Registro, que, neste ano, aliás, foi elevado de unidade experimental para consolidada”, explica Samuel Moreira.

Em novo encontro por videoconferência, o reitor e pesquisadores da universidade relataram ao parlamentar o Projeto Compostagem, que usa o lodo produzido por uma Estação de Tratamento de Esgoto (ETE), da Sabesp, em parceria com a Faculdade de Ciências Agronômica da Unesp de Botucatu.

Em reunião realizada dia 24 de outubro, foi discutida a proposta de uma usina de compostagem regional. O encontro contou com a presença de Romão, da assessora Maria Carmen, do diretor do Polo Regional do Vale do Ribeira, Erval Damatto, do diretor da FCA/Unesp, professor Dirceu Fernandes, do coordenador do Projeto Compostagem, professor Roberto Lyra Villas-Boas, do supervisor da Fepe, Juliano

Calonego, do Coordenador executivo Unesp Registro, Luiz Carlos Ferreira, e do diretor da Agência Unesp de Inovação (Auin), professor Saulo Guerra.

O próximo passo é uma reunião com a Sabesp, marcada para o próximo dia 28, com o objetivo de calcular o volume de lodo de esgoto produzido pelos municípios da região e chegar ao preço do futuro composto orgânico a ser produzido no Vale do Ribeira.

“O importante é encontrarmos soluções locais, que barateiem a produção de bananas, responsável por parte considerável da economia da região, mas que também possam inspirar outras regiões do país, a se apropriarem do conhecimento produzido em nossas universidades públicas”, analisa o parlamentar.

Postar um comentário

0 Comentários