Doença Raça 4 Tropical se aproxima do Brasil e pode causar a Extinção da Plantação de Banana Doença Raça 4 Tropical se aproxima do Brasil e pode causar a Extinção da Plantação de Banana - O Vale do Ribeira

Técnico Informatica

Técnico Informática Registro

Doença Raça 4 Tropical se aproxima do Brasil e pode causar a Extinção da Plantação de Banana

"O bananicultor Jeferson Magario disse que a doença raça 4 tropical saiu da Colômbia e foi para o Peru, entre o Brasil e o Peru tem fronteira seca e a preocupação é grande, estamos fazendo um alerta a região do Vale do Ribeira(SP). "

Doença Raça 4 Tropical se aproxima do Brasil e pode causar a Extinção da Plantação de Banana

Segundo matéria publicada no site "Abrafrutas" ,  O fungo causador do Mal do Panamá, Fusarium Oxysporum f. sp. cubense raça tropical TR4, teve presença recentemente confirmada na Colômbia e colocou em alerta os bananicultores brasileiros. Por se tratar de um fungo de solo que ataca o sistema radicular das bananeiras e causar um bloqueio nos vasos vasculares é incurável para a planta afetada e sem tratamento químico eficiente, ou seja, é letal para a bananeira. Essa nova raça de Fusarium ataca não apenas a banana Maçã e a Prata como o Fusarium raça 1 comum no Brasil, mas também a Cavendish (nanica). Ele é muito mais agressivo do que as raças anteriores, além de produzir estruturas de sobrevivência que podem se manter viáveis no solo contaminado por mais de 20 anos.

Doença Raça 4 Tropical se aproxima do Brasil e pode causar a Extinção da Plantação de Banana



Existem 2 formas de proteger os bananais deste fungo: 1) evitar que o fungo chegue até as áreas produtoras, ou; 2) plantio de materiais resistentes. O desafio do produtor de bananas reside no fato que qualquer partícula de solo contaminado que ingresse na sua propriedade pode infectar sua lavoura. Mudas ou restos de plantas hospedeiras contaminadas, veículos, pessoas, animais, insetos e até mesmo a água de irrigação podem trazer este problema para dentro de sua plantação. Por outro lado, no momento não existem cultivares, que sejam ao mesmo tempo comprovadamente resistentes e produtivas, disponíveis para substituir as lavouras atuais. Ou seja, a estratégia de sobrevivência da atividade se resume em postergar ao máximo a dispersão do fungo nas regiões produtoras e investir fortemente na pesquisa para que haja tempo de produzir, testar e validar novos materiais resistentes. Uma vez que os bananais são diagnosticados com FOC TR4 a plantação deve ser erradicada e vetada, a exemplo do que já ocorreu em mais de 185 ha de bananeiras para exportação, onde o mal foi detectado na Colômbia.

Doença Raça 4 Tropical se aproxima do Brasil e pode causar a Extinção da Plantação de Banana



Em termos gerais e de forma resumida, a produção de bananas é um negócio de mais 3 bilhões de dólares anualmente, cobre 470 mil ha e dele depende diretamente mais de 170 mil agricultores. 50% do consumo per capta de frutas no Brasil é de banana, a fruta mais popular e o 4º alimento mais consumido no mundo, depois do arroz, trigo e milho. A banana foi a 5ª fruta mais exportada em volume e a 7ª em valor pelo Brasil no último semestre.

Qualquer ameaça a essa cultura e especialmente neste caso do Mal do Panamá, precisa ser vista com muito cuidado e atenção pelo setor produtivo, seja ele de subsistência, pequeno, médio ou grande produtor, pelas autoridades da defesa vegetal, as empresas de pesquisa e as esferas municipais, estaduais e federais do Estado, pois trata-se de uma ameaça à segurança alimentar, à estabilidade social e econômica de milhões de pessoas. As partes envolvidas precisam se organizar, se unir e traçar um plano estratégico de combate a este mal, que já é considerado uma das 10 piores pragas da agricultura da história.

Bernardo Ricardo Ehle Filho

Engenheiro Agrônomo, Master em Gestão Estratégica de Negócios

Agrícola Famosa Ltda.


Oficio da (ABANORTE ) Associação Central dos Fruticultores do Norte de Minas,  para a (ABAVAR) Associação de Bananicultores do Vale do Ribeira


Of. 1204/ABA Janaúba (MG), 13 de abril de 2021. 

A Associação dos Bananicultores do Vale do Ribeira - ABAVAR Senhor Ézio Borges Presidente Registro – SP Senhor Presidente, Receba saudações da fruticultura norte mineira. É com enorme satisfação que nos dirigimos a V.S.ª para cumprimentá-lo e parabenizá-la pelo importante trabalho para a melhoria dos índices de desenvolvimento socioeconômico através da bananicultura em sua região. 

Como organização representativa da fruticultura norte mineira, a ABANORTE – Associação Central dos Fruticultores do Norte de Minas, tem o seu quadro social composto por aproximadamente 2.500 fruticultores e seu objetivo central é congregar os fruticultores, defender seus interesses e cooperar pelo desenvolvimento social, econômico e sustentável do Norte de Minas. 

A bananicultura nacional está alerta com a confirmação oficial nesta data, através da autoridade fitossanitária do Peru, da ocorrência de Fusarium oxysporum f. sp cubense Raça 4 Tropical (Foc RT4) no distrito de Querecotillo, província de Sullana, departamento de Piura. Esta confirmação colocou em iminente risco fitossanitário toda a bananicultura nacional e pode inviabilizar esta importante cadeia produtiva responsável pela geração de emprego e renda em todo o nosso território. 

Neste sentido, a ABANORTE convoca os bananicultores das demais regiões produtoras a cooperar e trabalhar juntos, através de demanda formal junto ao Rua São Pedro, 236 – São Gonçalo – Janaúba – MG – CEP: 39.445-063 – 38 3821-2936 Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), para que este atue no centro deste debate de dimensões internacionais e implante o Plano Nacional de Contingência para a praga Fusarium oxysporum f.sp cubense raça 4 tropical - Foc R4T, além de apoio técnico e político para que os bananicultores brasileiros se preparem para este enfrentamento e continuem a produzir de forma sustentável com a devida segurança alimentar e fitossanitária que a cultura exige. 

Na certeza de contar com vosso apoio, expressamos nosso agradecimento no atendimento deste pleito em defesa da sustentabilidade da bananicultura brasileira.


Atenciosamente, 
Nilde Antunes Rodrigues Lage
Presidente da ABANORTE


(ABAVAR) Associação de Bananicultores do Vale do Ribeira emitiu uma nota: 

Doença Raça 4 Tropical se aproxima do Brasil e pode causar a Extinção da Plantação de Banana




Ofício: 13/2021
Registro, 14 de Abril de 2021

Assunto: Solicitação de reunião online, com a superintendência do MAPA de São
Paulo e demais entidades estaduais , afim de discutir as ações sobre a R4T.

Tem-se na fruticultura, em especial na bananicultura, a principal fonte de renda da
agricultura no Vale do Ribeira, sendo a região responsável por 56% de toda produção estadual de banana, o que representa 80% da receita regional, gerando mais de 30 mil empregos diretos e 45 mil indiretos, além de contribuir com 1,7% do PIB estadual.

A bananicultura nacional esta em alerta com a confirmação oficial na data de ontem,
através da autoridade fitossanitária do Peru, da decorrência do Fusarium Raça 4 Tropical ( FOC RTA4), no distrito de Querecotillo, província de Sullana, departamento de Piura.

O eminente risco fitossanitário coloca toda a bananicultura nacional a beira da extinção e inviabiliza esta importante cadeia produtiva responsável pela geração de emprego e renda em todo território nacional.

Neste sentido, a ABAVAR pleiteia uma reunião online, com a superintendência do Mapa e demais órgãos estaduais, afim de discutir ações sobre a contingência da R4T.

'Agradecemos uma vez mais a atenção de V.Sa. para com nossa solicitação e colocamo-nos à disposição para quaisquer esclarecimentos que se fizerem necessários.

Cordialmente,

EZIO BORGES
Diretor Presidente - ABAVAR
Ao limo. Sr.
JOSÉ GUILHERME TOLLSTADIUS LEAL


Deputada Federal Rosana Valle esta apoiando os Bananicultores 


Postar um comentário

0 Comentários