ACIAR encaminha nota de repúdio ao governador João Dória por fechamento do comércio no Plano SP ACIAR encaminha nota de repúdio ao governador João Dória por fechamento do comércio no Plano SP - O Vale do Ribeira

Técnico Informatica

Técnico Informática Registro

ACIAR encaminha nota de repúdio ao governador João Dória por fechamento do comércio no Plano SP


O presidente da ACIAR, Daniel Muniz de Paulo, encaminhou NOTA DE REPÚDIO ao governador João Dória pela decisão de, mais uma vez, penalizar o comércio em razão da pandemia do coronavírus.

ACIAR encaminha nota de repúdio ao governador João Dória por fechamento do comércio no Plano SP



Eis a íntegra da nota da ACIAR é a seguinte:


“O presidente da Associação Comercial , Industrial e Agropecuária de Registro (ACIAR), Daniel Muniz de Paulo, em nome da diretoria e dos associados, vem a público REPUDIAR com veemência a decisão do governo do Estado de São Paulo em manter o Vale do Ribeira na fase laranja do Plano SP e, principalmente, na Fase vermelha nos dois próximos finais de semana.

A ACIAR compreende que a pandemia é uma realidade que preocupa a todos os cidadãos e que é preciso ações governamentais eficazes para conter a disseminação do vírus.

Mais uma vez o comércio é punido como se fosse o principal responsável pela pandemia quando, na verdade, os comerciantes estão preocupados e seguem rigorosamente os protocolos sanitários contribuindo efetivamente para o combate ao coronavírus.

No entanto, temos informações que as aglomerações ocorrem todos os finais de semana de semana nos bairros, com realização de festas e encontros de amigos particulares, sem a menor segurança, indo de encontro a todas as normas sanitárias. São tais eventos que contribuem para o aumento de doentes de COVID 19.

Ao invés de punir o comércio, o Governo do Estado e as prefeituras deveriam tomar medidas efetivas para coibir tais eventos como, por exemplo, formação de brigadas envolvendo funcionários públicos e a Polícia Militar para orientar e coibir aglomerações em locais públicos e particulares.

Restrições e fechamentos sequenciais do comércio só contribuem para amplificar a crise econômica, com falências e desemprego, o que gera outras doenças sociais que pode onerar ainda mais o combalido sistema público de saúde”.

Postar um comentário

0 Comentários