Técnico Informatica

Técnico Informática Registro

Mais um ano que passou...


Estamos às vésperas de 2021. É mais um início de mais um novo ano, porém, quando menos esperarmos, já estaremos em dezembro, comemorando outro final de ano. O tempo ruge, não urge, como diziam os antigos. O tempo passa, o tempo voa e a poupança de certo banco que mudou de nome ainda deve continuar numa boa.

Mais um ano que passou...

A cada novo ano que se inicia fazemos muitos projetos de mudanças, e nisso parecemos acreditar com todo o ardor, mas, quando termina o ano, vemos que pouco ou nada do que planejamos saiu de fato do papel. Continuamos do mesmo jeito, sem ter efetuado em nossas vidas aquelas tão planejadas e acaloradas mudanças.

 

Mas analisemos bem a questão. Que tipo de mudança seria essa? Mudaríamos a nossa maneira de ser, nossas perspectivas diante do mundo, nossa opinião a respeito das coisas? Se agíssemos assim, passaríamos a ser outra pessoa, e não mais aquela pessoa que, no início do ano, planejou mudanças em sua vida.

 

Quais são nossos projetos de mudanças? Fazer exercícios para perder a indesejável barriguinha ou para reduzir o colesterol e o diabetes? Ler aqueles livros que ficam nos chamando da estante, mas que nunca temos tempo de lê-los? Abraçar aquela pessoa com quem não simpatizamos? Dedicar mais atenção aos filhos e, por tabela, à nossa cara metade? Fazer faculdade, ou, talvez, um novo curso? Andar descalço nas ruas? Tomar banho de chuva, sem guarda-chuva? Fazer aquela viagem para tal lugar que vimos adiando há anos? Comer com as mãos num restaurante chique, sem garfos e facas, mandando às favas a etiqueta? Conversar com aquele mendigo que fica jogado, bêbado, sujo e maltrapilho na praça, que todos fingem que não existe, e ouvir a sua história de vida?...

 

Bem, os projetos de mudanças podem ser muitos e variados. Mas parece que nunca conseguimos colocá-los em prática. Temos a impressão de que o ano passa tão rapidamente que não dá tempo de executá-los. Agora, convenhamos: o que é o tempo senão uma convenção humana? Contudo, se é uma convenção que nós, humanos, criamos, então nós é que deveríamos ter domínio sobre o tempo, e não o contrário.

 

Talvez a gente nunca consiga realizar os nossos projetos de mudanças justamente porque ficamos com essa obrigação martelando em nossas cabeças, e, o que era para ser executado prazerosamente, acaba se transformando num fardo que carregamos nas costas durante todo o ano, sem vontade de torná-lo uma grata realidade.

 

Mas não sejamos tão pessimistas. Vamos acreditar que 2021 nos reserva a oportunidade de realizar os nossos tão acalentados projetos.

 

 

ROBERTO FORTES

ROBERTO FORTES, escritor e poeta, é licenciado em Letras e autor do livro de contos “O Tucano de Ouro - Crônicas da Jureia” (2012), além de centenas de crônicas e artigos publicados na imprensa do Vale do Ribeira.  E-mail: robertofortes@uol.com.br

 

(Direitos Reservados. O Autor autoriza a transcrição total ou parcial deste texto com a devida citação dos créditos).

 

Confira todas as crônicas do Alfarrábios

 

Postar um comentário

0 Comentários