Técnico Informatica

Técnico Informática Registro

Governo de SP começa a distribuir cestas de alimentos para população em extrema pobreza






Projeto Alimento Solidário vai entregar quatro milhões de cestas até julho. As primeiras 20 mil serão encaminhadas a Carapicuíba 

Governo de SP começa a distribuir cestas de alimentos para população em extrema pobreza


O Governador João Doria anunciou nesta quarta-feira (15) a entrega das primeiras 20 mil cestas do projeto Alimento Solidário, que visa garantir a segurança alimentar da população em extrema pobreza do Estado durante a pandemia do coronavírus. Serão distribuídas quatro milhões de cestas de alimentos, um milhão por mês até julho. 

"O projeto foi viabilizado por recursos do Governo do Estado de São Paulo e com apoio do setor privado. É a nossa obrigação e o nosso dever para proteger aqueles que estão em estado de pobreza ou extrema pobreza no Estado de São Paulo", disse Doria. 

As primeiras unidades serão encaminhadas para Carapicuíba, na Região Metropolitana de São Paulo. Na próxima semana, está prevista a entrega de mais 130 mil cestas em outros 55 municípios: Mongaguá, Peruíbe, São Vicente, Rio Grande da Serra, Itaquaquecetuba, Salesópolis, Santa Isabel, Francisco Morato, Franco da Rocha, Embu-Guaçu, Juquitiba, Ferraz de Vasconcelos, Suzano, Areias, Cachoeira Paulista, Canas, Cruzeiro, Cunha, Lagoinha, Lorena, Pindamonhangaba, Potim, Santo Antônio do Pinhal, São Bento do Sapucaí, São José do Barreiro, Tremembé, Biritiba Mirim, Mairiporã, Pirapora do Bom Jesus, Artur Nogueira, Cosmópolis, Engenheiro Coelho, Pedreira, Batatais, Altinópolis, Brodowski, Cássia dos Coqueiros, Dumont, Guariba, Carapicuíba, Pontal, Santa Cruz da Esperança, Santo Antônio da Alegria,São Simão, Serra Azul, Taquaral, Sales Oliveira, Santa Rita do Passa Quatro, Taiúva, Tambaú, Araçoiaba da Serra, Cerquilho, Jumirim, Piedade e Sarapuí.

O projeto tem investimento mensal de R$ 110 milhões e vai beneficiar, por mês, quatro milhões de pessoas em situação de extrema pobreza no Estado. A intenção é levar alimento a famílias cadastradas no CadÚnico (cadastro federal oficial para inclusão em programas de assistência social e transferências de renda),com renda de até R$ 89 per capita mensal. Para receber a cesta, o beneficiário deverá apresentar o Número de Identificação Social (NIS).

As cestas, elaboradas em parceria com a equipe de nutricionistas do Hospital Israelita Albert Einstein, contêm fontes de proteínas diferentes (feijão, leite em pó, sardinha, linguiça e ervilha), além de outros produtos como arroz, farinha, macarrão e biscoitos, suficientes para a alimentação de uma família de quatro pessoas por um mês. 

Durante o período da pandemia do coronavírus, o Governo de São Paulo já anunciou diversas medidas de proteção social à população em vulnerabilidade social,inclusive de segurança alimentar. Entres elas estão o acréscimo de refeições em todos os restaurantes Bom Prato, o Merenda em Casa e a ampliação do Vivaleite.








Postar um comentário

0 Comentários