Técnico Informatica

Técnico Informática Registro

Legado das Águas fortalece circuito turístico no Vale do Ribeira





Municípios de Miracatu e Juquiá receberam apoio para executar ações previstas o Plano de Turismo Integrado Regional (PTIR) com o objetivo de expandir o ecoturismo na região

Legado das Águas fortalece circuito turístico no Vale do Ribeira


O Legado das Águas, Juquiá, Miracatu e Tapiraí estão cada vez mais próximos de implantar um circuito turístico interligando as três localidades no Vale do Ribeira. O projeto de fomento do turismo regional foi concluído em 2018 e as ações começaram a ser desenvolvidas em 2019. Entre elas, está a elaboração do Plano de Turismo Integrado Regional (PTIR), entregue aos poderes executivos das cidades em dezembro do ano passado. Além de um diagnóstico completo sobre as potencialidades turísticas da região e da infraestrutura hoje existente nos municípios, o documento contém estratégias para suprir as necessidades e aumentar a visibilidade dos locais. O objetivo é movimentar a economia local conservando o meio ambiente.

“O objetivo do Legado das Águas é auxiliar os municípios na estruturação e fortalecimento do turismo sustentável. Desta forma, ver a floresta em pé como um importante e lucrativo negócio. A entrega do Plano de Turismo Integrado Regional é um marco. Os municípios agora têm em mãos uma forte ferramenta – que também foi construída por eles – para tornar a região cada vez mais atrativa do ponto de vista turístico”, explicou Daniela Gerdenits, consultora de Responsabilidade Social do Legado das Águas.

Para este ano, a meta é reforçar estratégias de turismo para manter viva a ideia de criação desse circuito, pois há muito potencial para atrair turistas. São 74 atrativos turísticos, sendo 56% naturais e 44% culturais. Desse total, 38% fica em Tapiraí, 37% está em Miracatu e 24% em Juquiá – 1% dos atrativos estão nos três municípios, juntos. A região também oferece 46 empreendimentos de hospedagens, sendo 58% deles em Tapiraí, e 63% estabelecimentos de alimentação, sendo 57% em Miracatu.

O PTIR é um dos resultados do trabalho iniciado em 2017 com o Programa de Apoio à Gestão Pública (AGP), viabilizado por meio de uma parceria entre o Legado das Águas, Instituto Votorantim e o Banco Nacional do Desenvolvimento e Social (BNDES) e foi executado pela Turismo 360 Consultoria. Apostando no turismo ecológico e de aventura, foram várias ações promovidas, como: a reestruturação dos Conselhos Municipais de Turismo (Comturs), cursos de qualificação de marketing digital, capacitação de microempreendedores e empresas, agências de turismo, donos de restaurante e hotéis.

Após o início dos investimentos do Legado na frente de turismo, os municípios já começam a colher frutos. O exemplo disso, foi o reconhecimento como Municípios de Interesse Turístico (MIT) pelo governo do Estado de São Paulo. Com isso, as cidades podem receber investimentos para obras e ações destinadas ao setor de turismo, por meio de convênios e acesso a fundos de fomento. Essas e outras conquistas despertaram o interesse de investidores do setor.

Este é o caso de Adriano Pereira dos Santos que aos 25 anos, é empreendedor, vice-presidente do Comtur de Miracatu e abriu uma agência de turismo em junho do ano passado, depois de aproximadamente sete anos trabalhando como guia turístico. “A nossa região estava esquecida. Agora, o fluxo de turistas tem aumentado. Não vejo o turismo em massa. Como é ecológico, o aumento da demanda tem que ser moderado, feito degrau a degrau para que a cidade possa acompanhar. Não podemos ter um “boom”, buscamos um crescimento sustentável”, ponderou. Para esse ano, o empresário estuda investir na riqueza da fauna da região com a criação de roteiros de observação de pássaros.

Expectativa

Além dos turistas, os avanços registrados pelo setor também despertaram a atenção de investidores para a região. “Tivemos a conquista do MIT, o lançamento do selo do turismo entre outras. Desde o início do plano de turismo, o panorama mudou muito. Estamos começando a colher os frutos das nossas ações com a melhoras para o setor e atraindo novos investimentos. Duas pousadas estão interessadas em começar negócio na cidade”, enfatizou Ronnie Ricardo Gonzaga de Castro, presidente do Comtur de Miracatu.

A importância da reestruturação do setor e a criação circuito turístico também foi destacada por Leila Alves, presidente da Banarte, de Miracatu. A associação, que produz artesanato a partir da fibra de bananeira, existe há mais de 20 anos, reconhecida dentro e fora do Brasil, é hoje um dos principais atrativos da região.

“É uma região rica em natureza, com um grande potencial a ser explorado e a nossa associação faz parte desse processo de desenvolvimento do turismo. Ao levarmos o nosso trabalho para fora, divulgamos também a região. Em uma semana chegou um grupo de 350 pessoas, o que movimentou toda a cidade, hotéis e padarias. O artesanato com a fibra de bananeira é só nosso e as pessoas querem conhecer como é feito. Com a estrutura para visitar a outros locais e onde se hospedar, essa estadia seria prolongada”, destacou.

SOBRE O LEGADO DAS ÁGUAS – RESERVA VOTORANTIM


O Legado das Águas, maior reserva privada de Mata Atlântica do país, com extensão aproximada à cidade de Curitiba (PR), é um dos ativos ambientais da Votorantim. Localizada na região do Vale do Ribeira, no sul do Estado de São Paulo, a área foi adquirida a partir da década de 1940 e conservada desde então pela Companhia Brasileira de Alumínio (CBA), que manteve sua floresta e rica biodiversidade local com o objetivo de contribuir para a manutenção da bacia hídrica do Rio Juquiá, onde a companhia possui sete usinas hidrelétricas.

Em 2012, o Legado das Águas foi transformado em um polo de pesquisas científicas, estudos acadêmicos e desenvolvimento de projetos de valorização da biodiversidade, em parceria com o Governo do Estado de São Paulo.
Hoje, o Legado das Águas é administrado pela empresa Reservas Votorantim, criada para estabelecer um novo modelo de área protegida privada, cujas atividades geram benefícios sociais, ambientais e econômicos de maneira sustentável.

















Postar um comentário

0 Comentários