Técnico Informatica

Técnico Informática Registro

Legado das Águas recebe escultura de onça-pintada do projeto Jaguar Parade Brasil







Obra de arte doada à Reserva foi arrematada em leilão beneficente que reverte arrecadações para projetos de conservação de onças-pintadas

Legado das Águas recebe escultura de onça-pintada  do projeto Jaguar Parade Brasil

Uma das 90 peças da maior intervenção urbana já realizada na capital paulista, a Jaguar Parade, agora está no Legado das Águas, maior reserva privada de Mata Atlântica do país. A obra, adquirida em leilão no final de 2019, foi doada à Reserva simbolizando o trabalho de conservação de grandes felinos realizado no Legado.

Legado das Águas recebe escultura de onça-pintada  do projeto Jaguar Parade Brasil

Jaguar Parade, que aconteceu entre os meses de agosto e novembro em São Paulo capital, é um evento de arte urbana que reúne esculturas em tamanho real de onças-pintadas personalizadas por grandes artistas nacionais e internacionais. Foram 90 esculturas expostas em diversos pontos de São Paulo com objetivo de chamar a atenção para preservação da espécie e seu ecossistema. O evento encerrou com um leilão beneficente onde 50% do valor arrecadado foi destinado a entidades originalmente brasileiras com foco na preservação da onça-pintada, como o Onçafari, SOS Pantanal e a Ampara Animal.

A peça In Natura, do artista Maramgoní, adquirida por José Roberto de Moraes Filho e Paulo Macedo, agora está exposta permanentemente no Legado das Águas, mantido pela Votorantim S.A. “O Legado das Águas nos traz esperança de que a conservação é um modelo de negócio que pode ser replicado e multiplicado. Essa obra nos lembra que estamos na casa dela [onça-pintada] e compreendê-la, assim como protegê-la, é nossa responsabilidade. Desejo sorte à Reservas Votorantim nessa missão de conservar a natureza e proteger seus habitantes”, diz Roberto de Moraes Filho.

“Estamos muito felizes em receber essa escultura, principalmente por ter vindo de uma causa tão importante. Iniciativas como essa são fundamentais para fortalecer as ações de conservação das onças-pintadas, que tem mostrado um caminho bastante viável economicamente com o turismo de observação, à exemplo do Onçafari, no Pantanal, com quem trocamos muitas experiências nesse sentido. 

Essa instituição foi uma das beneficiadas pelo Jaguar Parade, ou seja, é uma ação em prol da outra”, diz David Canassa, diretor da Reservas Votorantim, lembrando que o Legado das Águas desenvolve, desde 2014, um projeto para o monitoramento, estudo e conservação de grandes felinos ameaçados de extinção na Mata Atlântica, considerados essenciais ao equilíbrio da cadeia alimentar e indicadores da diversidade e qualidade ambiental.

In Natura – A obra de Maramgoní, segundo o artista, representa o animal em seu habitat, como o nome sugere. Em um dos lados da peça, a pintura retrata o animal na mata com olhar cativante e esperançoso, observando o mundo a sua volta. “Ela está representada como tem que ser, na sua melhor performance e em seu habitat. Saber que essa obra está no Legado das Águas, que faz um trabalho essencial para conservação dessa espécie, é de um prazer imensurável”, disse o artista.

Maramgoní também comenta a conexão entre a obra In Natura e a Reserva. “Aconteceu uma sinergia muito bonita. Nada é por acaso. Ela realmente está em casa, in natura. Não teria representação mais significativa. A arte cumpriu o seu papel, literal e efetivo. Meu desejo é que, por meio da arte, possamos ajudar nessa missão, convidando as pessoas a pensarem na importância desse animal para nossa própria sobrevivência, e a necessidade de preservar o seu ecossistema”, finalizou o artista.

Símbolo da fauna brasileira, a onça-pintada (Panthera onca) está ameaçada de extinção e é considerada como “vulnerável” pelo Livro Vermelho da Fauna Brasileira Ameaçada de Extinção (ICMBio, 2018). Na Mata Atlântica a situação é mais crítica, pois estima-se que restem menos de 300 indivíduos na natureza.

Sobre o Legado das Águas – Reserva Votorantim

O Legado das Águas, maior reserva privada de Mata Atlântica do país, com extensão aproximada à cidade de Curitiba (PR), é um dos ativos ambientais da Votorantim. Localizada na região do Vale do Ribeira, no sul do Estado de São Paulo, a área foi adquirida a partir da década de 1940 e conservada desde então pela Companhia Brasileira de Alumínio (CBA), que manteve sua floresta e rica biodiversidade local com o objetivo de contribuir para a manutenção da bacia hídrica do Rio Juquiá, onde a companhia possui sete usinas hidrelétricas.

Em 2012, o Legado das Águas foi transformado em um polo de pesquisas científicas, estudos acadêmicos e desenvolvimento de projetos de valorização da biodiversidade, em parceria com o Governo do Estado de São Paulo.

Hoje, o Legado das Águas é administrado pela empresa Reservas Votorantim, criada para estabelecer um novo modelo de área protegida privada, cujas atividades geram benefícios sociais, ambientais e econômicos de maneira sustentável.