Últimas Notícias

Ferramenta do TCE mapeia gestão e descarte de resíduos sólidos nos municípios paulistas

Plataforma trará dados dos 644 municípios do interior, do litoral e da Região Metropolitana de São Paulo; compatível com tablets e smartphones, ‘Painel de Resíduos Sólidos’ trará informações na forma de gráficos e indicadores.






Plataforma trará dados dos 644 municípios do interior, do litoral e da Região Metropolitana de São Paulo; compatível com tablets e smartphones, ‘Painel de Resíduos Sólidos’ trará informações na forma de gráficos e indicadores.

Ferramenta do TCE mapeia gestão e descarte de resíduos sólidos nos municípios paulistas


28/11/2019 – SÃO PAULO – O Tribunal de Contas do Estado de São Paulo (TCESP) lançou nesta quinta-feira (28/11), às 9h00, na Capital, o Painel de Resíduos Sólidos’ – plataforma virtual que traz um estudo e mapeamento do tratamento dos resíduos sólidos em todos os municípios paulistas (exceto a Capital). A interface pode ser acessada por meio do link www.tce.sp.gov.br/residuos.

A ferramenta, desenvolvida pelo Departamento de Tecnologia da Informação (DTI), permitirá que o interessado tenha acesso a dados, na forma de gráficos e mapa, sobre a gestão dos resíduos sólidos em cada uma das 644 cidades do interior, litoral e da Região Metropolitana de São Paulo.

Compatível com tablets smartphones, a plataforma trará informações sobre os locais de descarte, tipo de unidades de destinação utilizadas (aterro sanitário, bota-fora, ecopontos, resíduos de saúde, aterro industrial ou lixão a céu aberto).

Painel, com base nas respostas dos municípios ao questionário formulado pelo TCE em setembro deste ano, foi apresentado ao público pelo Presidente do TCE, Conselheiro Antonio Roque Citadini, durante a realização do ‘Seminário Semear’, que nesta edição terá como tema ‘Resíduos Sólidos: o lixo gerando oportunidades’.

Para elaborar a ferramenta, foram levados em consideração o cumprimento da legislação, a existência de locais apropriados e infraestrutura para armazenagem dos resíduos, processos de triagem, descarte e seletividade de materiais, bem como a presença de políticas públicas para a área de Educação Ambiental.