Últimas Notícias

Tradicional no inverno, o pinhão marca o início das estações frias no Sul do Brasil





A estação mais fria se aproxima e com ele as delícias da época aparecem nas feiras e supermercados de todo o país. O pinhão, fruto da araucária – árvore encontrada principalmente em climas subtropicais – é uma delas. Com presença marcante nos estados do Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul, esse pinheiro brasileiro que cobria as terras altas do Sul do Brasil, hoje está incluído na lista de espécies ameaçadas de extinção. 

Tradicional no inverno, o pinhão marca o início das estações frias no Sul do Brasil
(imagem pixabay) 

A espécie Araucaria angustifolia, também conhecida como pinheiro-do-paraná, dá origem a uma grande pinha em formato de esfera compacta, onde estão concentrados os pinhões. Este fruto pode chegar a 20 centímetros de diâmetro e leva cerca de dois anos para amadurecer. Quando madura, os pinhões se soltam facilmente. A polpa deles é a parte comestível, muito dura se estiver crua, mas, se cozida, fica macia e saborosa. Possui grande quantidade de amido e valioso teor nutricional, pois é rica em vitaminas do complexo B, fósforo, cálcio e proteínas.

Na Europa existe outro tipo de pinheiro nativo típico da região do Mediterrâneo: o Pinus pinea, que produz o pinolo, denominação que recebe na Itália, ou simplesmente pinhões, em Portugal. Em comparação aos pinhões brasileiros, os pinoli são bem pequenos, têm formato oval, coloração amanteigada, textura macia e sabor semelhante ao da amêndoa.

São encontrados com frequência na gastronomia italiana, como exemplo no preparo do pesto genovês. Eles também são populares na culinária do Oriente Médio, com a denominação de ‘snoubar’, notadamente no recheio de quibes. Em Portugal e Espanha são apreciados como snacks ou utilizados como ingredientes na doçaria destes países.

Portugal tem uma grande área dedicada a essa espécie florestal. O pinheiro-manso (Pinus pinea) é uma espécie bastante disseminada pela sua importância como fonte de alimento, ocupando um lugar de destaque na economia das regiões onde se desenvolve. O Alentejo produz 67% das pinhas nacionais e 15% das pinhas mundiais, segundo dados da União da Floresta Mediterrânica (UNAC), de 2013.

O pinhão brasileiro pode ser consumido cozido ou assado, e ainda empregado no preparo de pratos salgados ou doces. Aprenda como preparar a receita salgada de Paçoca de Pinhão, receita típica de Santa Catarina:

Paçoca de Pinhão

Ingredientes:
200 g de bacon com bastante carne
400 g de carne de porco moída e magra
200 g de lingüiça calabresa sem pele, moída