Últimas Notícias

Festival de Cannes | Desperdício de recursos chama a atenção de ecologistas

A 72ª edição do Festival de Cannes, uma das maiores premiações do cinema mundial, está acontecendo na França entre os dias 14 e 25 de maio.





A 72ª edição do Festival de Cannes, uma das maiores premiações do cinema mundial, está acontecendo na França entre os dias 14 e 25 de maio. A festa marcada pelo glamour da sétima arte ganhou destaque na mídia pelo seu lado nada elegante, revelado pelas manifestações de associações ecológicas: ativistas mostram o desperdício de recursos com o evento como o uso de jatos privados, os inúmeros iates ancorados no porto de Cannes e os quilos de alimentos jogados no lixo.

Festival de Cannes | Desperdício de recursos chama a atenção de ecologistas
(imagem Pixabay)



A cidade francesa à beira do mar Mediterrâneo que, por 12 dias, recebe cineastas, estrelas e celebridades do mundo inteiro, produz uma poluição desmedida. A realidade por trás dos flashes e do tapete vermelho está bem distante do respeito ao meio ambiente.

Não é a primeira vez que a Associação para a Defesa do Meio Ambiente e da Natureza (ADEN) levanta a bandeira sobre a questão. Segundo dados, a edição do evento de 2015 produziu 1,9 mil toneladas de lixo e praticamente nada foi feito para reduzir esse impacto. "Sem dúvida que há muito trabalho por fazer na organização do festival para que se torne mais ecológico", lamentou o diretor francês Cyril Dion, que também é ativista pelo meio ambiente. Ele fez um apelo ao mundo do cinema para mudar o cenário de poluição em Cannes.

"Durante o festival, a população triplica. Todas as pessoas se deslocam. Os profissionais e artistas vêm de avião ao aeroporto de Cannes e Nice, fileiras de carros, geralmente precedidos por motos com sirenas os transportam aos hotéis para evitar engarrafamentos, iates imensos na baía deixam os motores ligados o dia inteiro para ter energia elétrica", conta a presidente da ADEN, Geneviève Huchet.

“A equipe técnica troca o tapete vermelho três ou quatro vezes ao dia, milhares de papéis impressos são distribuídos - e muitas vezes acabam no mar”, completa Huchet, dizendo que em Cannes há um "consumo frenético". A ativista chama a atenção também para a ostentação em torno das celebridades. "Antecipam as demandas das estrelas, imaginam seus desejos de pedir flores, às vezes de mudar a decoração da suíte, imaginam o que gostariam de comer, mesmo quando não será consumido e acabará no lixo".

As festas dos iates em alto mar geralmente terminam com a queima de fogos de artifício, que geram partículas finas e poluem o mar, além de perturbar as aves marinhas com o barulho e a luminosidade. Para piorar o nível de ruído, aviões sobrevoam a região durante a época do festival e continuam
por toda a temporada de verão
. Em 2018, o aeroporto de Cannes registrou 1,7 mil pousos e decolagens de jatos de negócios durante o mês de maio, cerca de 54 por dia, e mais de dois mil durante o verão.

"Muitas estrelas se mostram como defensores do meio ambiente e, na realidade, há alguns paradoxos", declarou o prefeito de Cannes, David Lisnard, que nega qualquer tipo de tolerância com os famosos. “Se o ator Leonardo DiCaprio, grande defensor do meio ambiente e também adepto dos iates, jogar óleo de seu barco na baía de Cannes será multado como os outros", garante o governante.