Últimas Notícias

Brasil volta ao topo do ranking de maior emissor de turistas para Miami






Segundo o Greater Miami Convention & Visitors Bureau (GMCVB), o Brasil voltou a ocupar a primeira posição no mercado de turismo de Miami em 2018, com 426 mil visitantes, representando 8% do total de turistas estrangeiros. Os brasileiros haviam perdido o posto durante a crise, mas no ano passado recuperaram a colocação.

Brasil volta ao topo do ranking de maior emissor de turistas para Miami
(imagem Pixabay)

Em seguida vem a Colômbia e a Argentina, com 422 mil e 364 mil viajantes, respectivamente, em visita à cidade da Flórida. Brasileiros, colombianos e argentinos responderam por 20% do total de pernoites de estrangeiros em Miami. A América Latina foi responsável por 45% do total, sendo que a América do Sul somou 35%, contra 31% da Europa.

Em índices gerais,
a ocupação hoteleira de Miami fechou o ano passado com o recorde de 15,6 milhões de pernoites, mercado que está entre os 25 maiores dos Estados Unidos. O setor de turismo e hospitalidade dessa região da Flórida emprega mais de 142 mil pessoas. Entre os visitantes internacionais, 52% já haviam vistado o destino. Os hotéis responderam por 68% das hospedagens e 10% ficaram com as casas ou apartamentos de aluguel por temporada.

O Greater Miami CVB revelou também outros recordes para o turismo de Miami: a cidade recebeu 23,2 milhões de visitantes, número que representa um impacto econômico de US$ 18 bilhões na economia.

Entre os viajantes, 6,7 milhões passaram um dia na cidade (day trippers). “O mercado internacional continua sendo a prioridade de Miami, mas também vemos diversos turistas domésticos e visitantes de um dia escolhendo nosso destino como seu preferido”, disse Bill Talbert, presidente do GMCVB.

Outro mercado que bateu recorde foi o de cruzeiros marítimos.
O Porto de Miami registrou seis milhões de cruzeiristas, sendo que entre os estrangeiros, 7% realizaram a viagem partindo da cidade. Essa curta estadia justifica os day trippers, que embarcaram ou fizeram conexão no local.

A conectividade aérea ganhou novas rotas para o Miami International Airport (MIA). Entre eles estão Santa Marta, na Colômbia, com a VivaAir Colombia; Brasília e Fortaleza, com a Gol, e oito novos voos da American Airlines. O aeroporto da cidade recebeu mais de 22 milhões de passageiros, 2% a mais em relação a 2017.