Últimas Notícias

3ª Caminhada pelo Autismo encerra as atividades de conscientização em Registro-SP





Realizada pela AMAR, o objetivo foi informar a população sobre a inclusão social de pessoas com TEA. A Entidade atende 140 famílias.


3ª Caminhada pelo Autismo encerra as atividades de conscientização em Registro-SP
3ª Caminhada pelo Autismo encerra as atividades de conscientização em Registro-SP



A Semana de Conscientização do Autismo em Registro-SP, promovida pela AMAR – Associação Amigos do Autista encerrou no sábado, 06 de abril, com uma caminhada que reuniu uma centena de pessoas, entre familiares, profissionais e apoiadores, todas vestidas de azul. O grupo saiu de frente da Prefeitura e percorreu 750 metros até a Praça dos Expedicionários.

3ª Caminhada pelo Autismo encerra as atividades de conscientização em Registro-SP

Ao longo da Semana foram realizadas várias palestras sobre o que é o Autismo, diagnóstico, tratamento, inclusão e direitos. O Dia Mundial do Autismo é celebrado anualmente em 02 de abril. A data tem por objetivo difundir informações para a população sobre o autismo e assim reduzir a discriminação e o preconceito que cercam as pessoas com esta síndrome neuropsiquiátrica. Os Transtornos do Espectro Autista (TEA), como o próprio nome sinaliza, englobam uma série de diferentes apresentações do quadro, que têm em comum: maior ou menor limitação na comunicação seja linguagem verbal e/ou não verbal; na interação social ou comportamentos caracteristicamente estereotipados, repetitivos e restritos de interesses.


“Passamos parte da nossa caminhada explicando o autismo como uma condição da neurodiversidade. Pode acontecer de pessoas autistas terem comorbidades, assim chamadas às condições coexistentes com o TEA, como: epilepsia, esquizofrenia, TOC, TOD, Síndrome de Down, entre outros. Quem tem autismo não apresenta deformidade física. Por isso, crianças e jovens muitas vezes são rotulados como mal-educados e rebeldes, gerando sofrimento para eles e suas famílias. É importante que todos tenham um olhar de acolhimento. Autismo não é doença. Meu filho tem 28 anos e foi diagnosticado com dois anos e meio (um verdadeiro milagre na década de 90)”, explica a presidente da AMAR, Celia Haiek.