Últimas Notícias

Cajati alcança 86,5% da meta de vacinação contra a febre amarela e terá nova campanha no dia 16








Prefeitura de Cajati esclarece dúvidas sobre a vacina e a doença e programa nova ação de pulverização em bairro do município

Cajati alcança 86,5% da meta de vacinação contra a febre amarela e terá nova campanha no dia 16
Cajati alcança 86,5% da meta de vacinação contra a febre amarela e terá nova campanha no dia 16


Neste sábado, dia 16 de fevereiro, o Departamento Municipal de Saúde de Cajati fará nova campanha de vacinação contra a febre amarela, das 10h às 16h, na Praça da Bíblia, que fica na Avenida Fernando Costa, 1.535, no bairro Jardim Isabel - região central da cidade. 

“A meta é imunizar 95% dos cajatienses. Vacinamos, até o momento, 86,5% e não conseguimos alcançar toda a população, pois há um grupo que não pode receber a vacina. Entretanto, atingir a meta é fundamental, pois quanto mais alta essa porcentagem, mais protegidos estarão nossos moradores”, esclarece a chefe da seção de Vigilância Epidemiológica de Cajati, Graciete Maria Pereira.

Somente neste ano, o município registrou cinco casos de suspeita da febre amarela. O primeiro foi no bairro Capitão Brás (Vila Costão). O paciente foi liberado e o resultado deu negativo para a doença. No dia 22 de janeiro, o bairro passou por um processo de nebulização – os profissionais fazem uma pulverização na região para evitar a transmissão do vírus. “Essa ação é preventiva e é feita onde há suspeita de febre amarela. Lembramos que a nebulização não tem resultado permanente e é importante que os moradores tomem a vacina”, observa.
O segundo caso foi no bairro Parafuso. O resultado apontou a presença da doença e o paciente continua internado no Hospital de Clínicas em São Paulo. O bairro recebeu nebulização nos dias 24 e 28 de janeiro. No bairro Barra do Azeite (no Braço do Azeite) foi identificada a terceira suspeita. O paciente está internado e aguarda o resultado dos exames. No dia 1º de fevereiro, os agentes de endemias da Vigilância em Saúde também fizeram a nebulização na região.
O quarto caso de suspeita de febre amarela foi no bairro Jardim Ana Maria. O paciente está internado em Pariquera-Açú e aguarda o resultado do exame. O bairro recebeu a nebulização nos dias 7 e 11 de fevereiro. Uma equipe da Saúde e agentes comunitários também estiveram no bairro para uma ação de vacinação contra a doença no dia 8 de fevereiro.
A última suspeita foi no bairro Vila Vitória. O paciente está internado em Pariquera-Açú e aguarda o resultado do exame. A nebulização para esse bairro está programada para a quarta-feira, dia 13 de fevereiro.

Tire suas dúvidas sobre vacinação contra a febre amarela

Todos devem tomar a vacina? 
Devem ser vacinados todos os adultos até 59 anos de idade e crianças com idade acima dos nove meses.

Quais os locais de vacinação?
A vacina está sendo aplicada em todas as ESFs do município, que são as unidades de Estratégia da Família, nos Postos de Saúde. Os horários são das 9h às 11h e das 14h às 16h, de segunda a sexta-feira. Na sede da Vigilância Epidemiológica, que fica anexa ao hospital de Cajati, na Rua Antonio Domingues Brechó, 116, no bairro Jardim Central, a vacina pode ser tomada de segunda a sexta-feira, das 8h às 12h e das 13h às 17h.

A vacina faz efeito na hora?
Não. A vacina tem efeito após 10 dias da sua aplicação. Sendo assim, a recomendação é usar o repelente, principalmente quando estiver em locais de risco, como em áreas de mata e rios, até completar o tempo para a imunização completa.  
  
Quem já tomou a vacina precisa fazer reforço?
O reforço é feito depois de sete anos para quem tomou a vacina fracionada em 2018. Quem tomou a dose completa, está imunizado para toda a vida.   

Precisa levar algum documento para tomar a vacina?
É necessário levar um documento de identificação pessoal e a caderneta de vacinas, caso a tenha. Sem a caderneta, os profissionais fazem um comprovante na hora. Se o paciente tiver receita médica, a recomendação é apresentar para a vacinação.

Há contraindicação para a vacina?
Gestantes, mulheres em fase de amamentação até os seis meses do bebê, crianças com até nove meses de idade e alérgicos a ovo (onde a vacina é produzida) não devem tomar. É contraindicada também para pacientes com febre aguda e após o uso de imunossupressores (medicamentos que comprometem a resposta imunológica). Nesses casos, é recomendado que o paciente busque orientação médica para saber se deve ou não tomar a vacina.

Após tomar a vacina é possível ter alguma reação?
Qualquer vacina pode causar reações. As mais comuns são febre leve, dor no corpo e calafrios. Caso queira, o paciente pode pedir orientação médica para tomar um remédio para a dor.

Há uma data final para a vacinação ou é permanente?
A vacinação será encerrada quando a meta for atingida.

Saiba mais sobre a febre amarela
O que é a febre amarela?
A febre amarela é uma doença infecciosa causada por um vírus. A transmissão é feita pela picada do mosquito infectado. No ciclo silvestre, o vírus é levado pelos mosquitos Haemogogus e Sabethes, e no ciclo urbano, pelos do gênero Aedes (os mesmos da dengue, zika e chikungunya).

Como se manifesta e quais os sintomas?
Febre repentina, dores musculares em todo o corpo, forte dor de cabeça, calafrios, dor nas costas e no corpo em geral, náuseas, vômitos, fadiga e fraqueza, isolados ou associados, são alguns sintomas da febre amarela.

Quanto tempo após a picada do mosquito os sintomas da doença aparecem? 
O período da incubação, que é o tempo entre a picada do mosquito e o aparecimento dos primeiros sintomas da doença, é curto e leva entre três e seis dias.

Quais as áreas de risco?
Regiões de mata, rios, cachoeiras, florestas, parques e rurais.

Uma pessoa com febre amarela pode transmitir para outra?
Não. A transmissão é feita pelos mosquitos.

O macaco transmite a febre amarela?
O macaco não transmite a febre amarela. O pedido de informar os órgãos de Saúde ao ver macacos mortos ou doentes é porque a doença é comum em regiões de mata, onde vivem esses animais. O macaco doente ou morto pode ser um indicativo de que naquela área há circulação da febre amarela, chamadas de Áreas de Risco para a Transmissão da Febre Amarela. Pessoas que passam ou estão próximas a essas regiões podem ser picadas por mosquitos infectados, que também podem ter transmitido a doença ao macaco. Outra situação de possível transmissão da doença é pelo humano que sai de uma área de mata onde foi picado pelo mosquito infectado. Essa pessoa volta para a cidade e é picada por um mosquito Aedes (da dengue, por exemplo), que se contamina e passa a doença para outros humanos em área urbana.
  
Como é feito o diagnóstico?
Por exames de sangue laboratoriais que identificam o vírus da febre amarela.

Como é feito o tratamento?
A febre amarela é tratada com medicamentos para alívio de sintomas, como analgésicos, com repouso, hidratação e acompanhamento pelos profissionais da saúde, pois não há um medicamento específico para a doença. Casos graves são encaminhados para centros hospitalares de referência, em Unidades de Terapia Intensiva (UTIs). Nos primeiros dias de suspeita da doença (entre cinco e sete dias após o início dos sintomas), é recomendado usar o repelente, pois, enfraquecidos, esses pacientes podem ser alvos potenciais também para o mosquito Aedes, que transmitem a dengue, zika e chikungunya.

É possível se prevenir da doença?
Sim, com a vacina. Também é possível tomar alguns cuidados como combater o mosquito e evitar regiões de risco e utilizar repelente, roupas compridas, quando possívele mosquiteiros.

Mais informações pelo telefone (13) 3854-8500, no ramal 2010.