Últimas Notícias

Bairro Capinzal ganha voz na Prefeitura, através dos Gremistas da Escola Estadual Dona Irene Machado







No último dia quatro de setembro, terça-feira, às 11h00, o Grêmio Estudantil Voz Ativa, da Escola Estadual Dona Irene Machado de Lima, realizou uma entrevista com o prefeito Gilson Fantin, da cidade de Registro-SP, em seu gabinete, na Prefeitura, com o objetivo de levantar informações de interesse dos moradores do bairro e dos bairros vizinhos. 


Bairro Capinzal ganha voz na Prefeitura, através dos Gremistas da Escola Estadual Dona Irene Machado
Bairro Capinzal ganha voz na Prefeitura, através dos Gremistas da Escola Estadual Dona Irene Machado 


Questionado sobre a estrada do bairro Capinzal, o prefeito disse o seguinte “temos 740 km de estradas para cuidar, o município tem três máquinas patrol, duas retroescavadeiras e seis caminhõezinhos toco, que não dão para nada, portanto dependemos de licitação, estamos fazendo 90% das compras da Prefeitura, através de pregão eletrônico, sendo que cidadãos do Brasil inteiro podem participar de uma licitação do município de Registro-SP

Bairro Capinzal ganha voz na Prefeitura, através dos Gremistas da Escola Estadual Dona Irene Machado
Bairro Capinzal ganha voz na Prefeitura, através dos Gremistas da Escola Estadual Dona Irene Machado 


A empresa vencedora foi uma empresa de São Paulo, a qual a Prefeitura só fica sabendo quando finaliza o processo. A empresa vencedora não cumpriu as normas de licitação, colocando para trabalhar veículos muito antigos, das décadas de 70 e 80, descumprindo o critério do Edital, de que os carros só poderiam ter até 7 anos de uso, portando os caminhões quebravam muito, a Prefeitura estava pagando por um serviço que não acontecia”. 

Assim devolveram tudo, abrindo nova licitação. Optaram por alugar duas máquinas patrol, em parceria com o DAEE - Departamento de Águas e Energia Elétrica e DER – Departamento de Estradas e Rodagem, sendo que a tendência agora é melhorar, pois irão colocar material fresado de asfalto, utilizando 5 cm de emulsão, que com sol quente ficará impermeável, acabando com a lama e a poeira. 

Segundo o prefeito “não tem nenhuma estrada no município que tenha ficado um ano sem manutenção, temos relatórios que comprovam isso e ficará à disposição de vocês”, disse, também, que as máquinas só sairão do Capinzal após estar tudo pronto. 

No que se refere à Saúde, foram realizadas perguntas sobre a finalização do posto de saúde, sobre os atendimentos e sobre a médica do posto em funcionamento, sendo que o prefeito afirmou que “nunca tem dinheiro para tudo, temos que ver as prioridades. 





O bairro cresceu muito e vem crescendo mais, desde 2013 estamos buscando recursos para dotar o bairro de uma estrutura melhor em questão de Saúde, em 2015 utilizamos uma emenda parlamentar que estava parada na Prefeitura desde 2012, recebida por meio do Deputado Estadual Samuel Moreira, no valor de R$ 300 mil para iniciar a construção do Posto de Saúde e existia a promessa de depois se complementar essa emenda, mas por conta da pior crise em que o País está passando, contribuiu para que as coisas não acontecessem. 

Gastamos os R$ 300 mil, que era uma emenda que estava desde 2012 na Prefeitura e conseguimos através da economia feita no ano anterior mais R$ 300 mil em recursos próprios. Dos 6.570 municípios, nenhum conseguiu investir com recursos próprios, e nós já fizemos no padrão do Ministério da saúde e com consultório odontológico. Até o final de fevereiro de 2019 devemos entregar o Posto”. 

Em relação a ter outros médicos para cobrir as férias, disse que Quando assumimos o mandato em 2013, tínhamos 13 equipes de Saúde da Família e 5 consultórios odontológicos, no mês que vem estaremos inteirando a 19ª equipe de Saúde da Família, aumentando em 50% a estrutura de saúde e em 300% a estrutura odontológica. 

Portanto a não contratação de outro médico para cobrir período de férias não é por má vontade ou falta de dinheiro, mas não existe o profissional interessado, já fizemos até concurso e não tem gente interessada, pois a Prefeitura paga 16 mil reais mensais, e num plantão de 24 horas esse profissional recebe 2,800 reais, portanto se ele fizer 8 plantões ele ganhará 20 mil reais. 





O Ministério Público preconiza que o enfermeiro possa fazer grande parte do atendimento. 



Sobre a questão do transporte no bairro, o prefeito informou que depois de 16 anos “conseguimos mudar o contrato de concessão de transporte de passageiros, é máfia dos empresários ou das empresas? 

Sofremos até ameaça de morte, por mudar a empresa, e outra; colocamos para rodar 22 ônibus novos, coisa que nunca aconteceu no município de Registro-SP, e pelo mesmo preço, portanto o empresário teve que fazer um investimento de R$ 12 milhões. 

Esse é um contrato novo, que tem duração de dois anos, ele é super moderno e permite suprimir a linha ou aumentar”. Segundo ele, se existir a demanda para o aumento das linhas, é possível adequar. Sobre o bilhete único, Fantin informou que em seis meses foi possível a implantação dos veículos novos e o município contará com o bilhete único até novembro. 

Falando sobre os poços artesianos, Fantin alegou que “durante a campanha verificamos a necessidade de seis poços artesianos na zona rural (Indaiatuba, Cheia Grande, Jurumirim, Ribeirão Branco das Palmeiras, etc.), fomos atrás de recursos, existe um órgão chamado FEHIDRO - Fundo Estadual de Recursos Hídricos, sendo um fundo de financiamento de fundo perdido, o Governo do Estado que paga o Banco do Brasil, não é a Prefeitura e os primeiros dois que foram contemplados, a Prefeitura mandou para os bairros da região do Capinzal, por conta da demanda que é o principal critério para tudo o que é feito, cada poço custou R$ 202 mil, incluindo o poço, a bomba, a alimentação de casa em casa, com relógio, outorga do poço e comunicação a SABESP – Saneamento Básico do Estado de São Paulo. 

Quando a empresa terminou o poço, a bomba era de uma cavalagem diferente e a alimentação elétrica das duas escolas não era suficiente, portanto, ligavam e a energia caía. A Elektro demorou um ano e meio para fazer a adequação de carga elétrica para alimentar o sistema. 

Essa empresa era da cidade de Belo Horizonte e devido à tragédia em Mariana, a empresa foi contratada para fazer seis mil poços artesianos para atender àquela população, assim teve que ir embora. 

Há um mês atrás tivemos uma conversa com eles, para virem fazer um teste de estanqueidade e de pressão, para poder ligar a bomba e funcionar. Acredito que até o mês de novembro, no máximo, já estará funcionando”. 

Depois da entrevista com o prefeito, os alunos do Grêmio Voz Ativa, da Escola Irene Machado, estão bastante confiantes, devido às soluções propostas por Fantin para os bairros, já que houve a promessa dos problemas serem solucionados.

Veja também essas matérias: