Últimas Notícias

Feira espera atrair 100 mil visitantes e vender 30% da produção anual de malhas




Feira espera atrair 100 mil visitantes e  vender 30% da produção anual de malhas


Maior feira de malha tricot do Sul do Brasil abre quinta, 26, em Nova Petrópolis

Feira espera atrair 100 mil visitantes e  vender 30% da produção anual de malhas

Pela primeira vez na história do evento, o Festimalha terá 11 dias ininterruptos. A feira abre dia 26 de abril e segue até dia 6 de maio sem intervalos. 

Isso porque os organizadores decidiram apostar no feriado de 1º de maio, que registra grande fluxo de visitantes na região. 

Depois disso, o evento segue de quintas a domingos até 3 de junho, totalizando 27 dias de feira. Sediada no Centro de Eventos de Nova Petrópolis, a feira reúne 61 expositores, sendo 45 malharias, 11 pontos de alimentação e cinco expositores de acessórios. 








Seguindo o mote ‘Descubra o Festimalha que combina com você’ e com dois dias a mais que a edição anterior, a Associação Comercial e Industrial de Nova Petrópolis (ACINP) – promotora do evento – aposta na qualidade das malhas, na diversidade das atrações, no potencial turístico e na presença do frio para esquentar as vendas. A projeção é de atrair 100 mil visitantes – cinco vezes a população da cidade - e vender o equivalente a 30% da produção anual de malhas (1 milhão de peças com o processamento de 500 toneladas de fios). “O Festimalha não coloca apenas na vitrine o melhor da produção em malhas de Nova Petrópolis como também é essencial para o crescimento e desenvolvimento das empresas”, destaca o presidente da entidade, José Paulo Boelter.





O setor malheiro, importante cadeia produtiva da cidade, é responsável por gerar cerca de 2 mil empregos diretos. Além disso, a atividade também preserva forte apelo cultural com a manutenção de um ofício que nasceu com a imigração alemã e que se mantém vivo e em constante evolução. Atualmente, o ‘Jardim da Serra Gaúcha’ possui uma malharia para cada 328 habitantes, uma marca invejável que evidencia o perfil cooperativo da comunidade.

Entre os destaques estão o Concurso Top Model Terceira Idade, com inscrições que encerram na sexta-feira, 27 de abril, desfiles de moda oficiais, desfile Minha Mãe é Top, Encontro de Rainhas, Maridódromo, Recreação Infantil e apresentações musicais. Na parte externa, o público será recepcionado por uma bandinha, acompanhada pelo Fassbierwagen comercializando chopp.

O ponto alto do Festimalha é que 100% da produção das malhas é local, o que torna o produto diferenciado e carregado de exclusividade com design próprio. Diversidade, conforto e afeto permeiam o ambiente mesclado por modelagens, fios e estilos variados. São peças modernas e genuinamente nova-petropolitanas, que vestem brasileiros de todas as idades e que estão à disposição num único lugar.







Bem receber


Quem visita o Festimalha, além de encontrar lançamentos em malhas na moda inverno disponíveis apenas em Nova Petrópolis, também usufrui de uma rede de serviços com hotéis, cafés, restaurantes e atrativos turísticos imperdíveis. A estrutura hoteleira conta com 1.800 leitos, distribuídos entre 34 hotéis e pousadas, além de 40 estabelecimentos gastronômicos. As atrações remontam ambientes europeus. Distante apenas 90 km de Porto Alegre, é comum ao passear pela tranquila cidade ouvir as pessoas conversarem em idioma germânico.

Pequena, mas uma gigante na cultura, Nova Petrópolis conta com uma formação cultural de dar inveja a muitas cidades grandes. São 51 corais, 11 bandas típicas e conjuntos musicais, 18 grupos de danças folclóricas, uma orquestra de sopros e cinco museus históricos, entre outras representações. A cultura do tricot, passada de geração em geração, multiplicou-se e profissionalizou-se com o passar dos anos, dando origem à indústria de malhas e, com ela, o turismo cultural.

Seus jardins floridos o ano inteiro são o cartão de visita nas quatro estações do ano. Mas é no inverno, com a expectativa de baixas temperaturas, com os sabores dos cafés coloniais e com a culinária típica, que a cidade fica repleta de visitantes. São cerca de 1,3 mi turistas por ano, segundo a Secretaria de Turismo, Indústria e Comércio do município.

Além do potencial cultural e histórico, a cidade também oferece, entre outros atrativos turísticos, o Parque Aldeia do Imigrante, a Praça das Flores, o Labirinto Verde, o Monumento ao Cooperativismo, Esculturas Parque Pedras do Silêncio, Jardim Mais Alto da Serra Gaúcha e o Ninho das Águias, além de roteiros como Alemães do Sul e Caminhos Germânicos.

Fotos: Mauro Stoffel