Últimas Notícias

MIL DIAS QUE FARÃO A DIFERENÇA POR UM FUTURO MELHOR


MIL DIAS QUE FARÃO A DIFERENÇA POR UM FUTURO MELHOR


Programa Criança Feliz  atende 100 famílias com ações para
estreitar os laços entre mães/pais/responsáveis e filhos

Ilha Comprida – Pode parecer simples, mas uma brincadeira de roda entre os pais e filhos tem o poder de mudar o mundo.  Pode parecer banal, mas os instantes em que crianças e adultos brincam juntos e transformam potes, latas, caixas de papel em brinquedos criam  vínculos fortes que vão perdurar por toda a vida. 

Para os pais que reclamam da falta de tempo para se dedicar aos filhos, há uma boa notícia: não é o tempo vai promover mudanças. É a qualidade desse tempo.

Para transmitir esses e uma série de outros ensinamentos, as educadoras Tainá Sigaud ( estudante de Serviço Social),  Marina Almeida ( universitária da área de Psicologia) e Daiana de Lima ( estudante de Pedagogia  visitam semanalmente 100 famílias que integram o Programa Criança Feliz . 





Nas casas, elas conversam com crianças e familiares, confeccionam brinquedos com reciclados, estimulam memória, coordenação motora, a linguagem, concentração, atenção nas crianças e – de maneira lúdica – destacam importância do vinculo entre pais e filhos.

Em seis meses do projeto na Ilha,  as mudanças já foram  notadas. “As famílias estão abertas para mudanças, para aprendizagem , eles abrem a porta de casa, sentam com a gente, brincam adquirem  conhecimento da importância dessa relação entre pais e filhos”, afirma Tainá. “ Muitas mães não tinham noção de como uma criança é inteligente e nem do que é capaz de fazer, quando estimulada a brincar”, analisa  Daiane.  Para Marina, embora focadas nas crianças, as visitas vão além e analisam a estrutura familiar em busca da harmonização do convívio.

Ação  conjunta do Ministério  do Desenvolvimento Social com o Governo do Estado e município da Ilha Comprida , o Criança Feliz  parte de indicadores  científicos que mostram que o desenvolvimento humano tem início na gestação e que a atenção, o cuidado, o vínculo e o amor nos primeiros mil primeiros dias de vida farão toda a diferença na qualidade de vida da criança.

Na Ilha, o programa atende 100 famílias com crianças entre zero e 3 anos, dos quais oito gestantes, todos que integram programas sociais como o Bolsa Família, Benefício de Prestação Continuada  e as afastadas do ambiente familiar por medida protetiva. Não é o município que seleciona as famílias e este programa não envolve o repasse de recursos, apenas as visitas domiciliares.

O prefeito Geraldino Júnior  destacou a importância do Criança Feliz por representar o investimento no futuro. A presidente do FSS da Ilha, Juliana Peitl, afirmou que o programa vai ensinar principalmente aos pais formarem vínculos com os filhos, a brincar com eles, a dar afetividade porque esses momentos farão a diferença na vida dessas crianças e terão reflexos por toda a vida.  

A psicóloga Isabelle Martins , diretora do Departamento de Ação e Desenvolvimento Social apontou como fundamental o Criança Feliz porque “é nessa faixa etária que se forma um cidadão no futuro, um ser humano. Somos como fomos criados e esse programa, com certeza, fará toda a diferença no município”.

O Primeira Infância beneficia 224 municípios  no estado de São Paulo.  Na Ilha, é coordenado por Márcia Mantovani e supervisionado por Adolfo Teixeira. 

“É um programa que vai surtir resultados à longo prazo – no futuro dessas crianças – na formação de cidadãos.”, analisa.