Últimas Notícias

Os 10 (primeiros) livros que EU quero ler (ou reler) em 2018

Os 10 (primeiros) livros que EU quero ler (ou reler) em 2018


Os 10 (primeiros) livros que EU quero ler (ou reler) em 2018, 1. Zorba, o grego – Nikos Kazantzakis, 2. Nos confins do homem: os animais desnaturados – Vercors, 3. Cavalos partidos – Jeannette Walls, 4. Outros jeitos de usar a boca – Rupi Kaur, 5. O fio da vida – Kate Atkinson, 6. O sol é para todos – Harper Lee, 7. A versão dos afogados: novas comédias da vida pública, 8. Minhas vidas passadas: [agora com mais duas vidas], 9. A morte de Ivan Ilitch – Leon Tostói, 10. Como se estivéssemos em um palimpsesto de putas – Elvira Vigna.

1. Zorba, o grego – Nikos Kazantzakis

Minha mãe é super mega master blaster importante na minha vida. Em todos os momentos. Em todos os aspectos. Este é o livro preferido dela. Por que será que ainda não li? Agora é a hora. Para conhecer um pouco mais sobre seus gostos, sua personalidade. Além disso, o autor é considerado o mais importante escritor grego do século XX. E o livro virou filme ganhador de três Oscar.



2. Nos confins do homem: os animais desnaturados – Vercors

A primeira vez que ouvi falar deste livro foi na excelente palestra Fraude em ciência: casos e causas, do Prof. Dr. William Saad Hossne (in memoriam) da Unesp na USP (disponível na internet). Ele contou um trecho da história e atiçou minha curiosidade dizendo que o livro é extremamente difícil de ser encontrado para compra. O que aconteceria se alguém encontrasse o elo perdido? Como saber se aquele seria um animal ou um ser humano? Que tal se um humano topasse ter um filho com ele e depois matasse o filho/filhote para que a justiça decidisse se era um homicídio ou não?








3. Cavalos partidos – Jeannette Walls

Quero ler um livro de uma personagem verdadeiramente corajosa. O livro é baseado na história da avó da autora. Aproveito pra aumentar minha leitura de obras escritas por mulheres. #LeiaMulheres



4. Outros jeitos de usar a boca – Rupi Kaur

Sucesso de vendas nos EUA. E olha que é livro de poesia! Rupi escreveu e ilustrou o livro. Ela é pop e polêmica. E quando li isso: “Quero pedir desculpa a todas as mulheres que descrevi como bonitas antes de dizer inteligentes ou corajosas. Fico triste por ter falado como se algo tão simples como aquilo que nasceu com você, fosse seu maior orgulho, quando seu espírito já despedaçou montanhas. De agora em diante vou dizer coisas como, “você é forte” ou, “você é incrível!”, não porque eu não te ache bonita, mas porque você é muito mais do que isso." Descobri que precisava ler o livro todo.



5. O fio da vida – Kate Atkinson

Dejá Vu. Efeito Borboleta. Mesmo rio, outras águas. Quantas chances temos na vida? Li resenhas que me deixaram curiosa para saber o que fez a personagem que teve muitas chances para viver a mesma história.



6. O sol é para todos – Harper Lee

A autora ganhou o Pulitzer de ficção com este livro. O livro virou filme que ganhou quatro Oscar. Eu ganhei Vá, coloque um vigia. Assumo, quero ler os dois (e ver o filme). Mas sou meio metódica. Preciso ler O sol primeiro.



7. A versão dos afogados: novas comédias da vida pública

Luis Fernando VeríssimoVeríssimo está entre meus autores prediletos. Leve, divertido, seu estilo me conquistou desde a primeira leitura. Adorei suas Comédias da vida privada. Vamos ver como serão suas Comédias da vida pública.

8. Minhas vidas passadas: [agora com mais duas vidas

Mario PrataLembra uma época, mais ou menos recente, quando “estava na moda” Muitas vidas, muitos mestres e outros afins? Caiu-me nas mãos o Minhas vidas passadas (a limpo). Li na praia. Eu não conseguia largar o livro, nem sob o sol, nem sobre a areia, nem sob as ondas do mar (mesmo porque eu tenho medo de água e não entro no mar, mas isso não vem ao caso). Eis que recentemente descobri a edição com mais duas vidas! PRE-CI-SO ler. Antes que eu morra! Certeza que as pessoas da minha vida atual são minhas velhas conhecidas... Para o bem ou para o mal. Ou será que não? (Rolando de rir só de pensar.)

9. A morte de Ivan Ilitch – Leon Tostói

Ele é Ilitch, eu Maith. Ele é funcionário público, eu idem. Ele estava morrendo e meditando sobre o passado. Eu, graças a Deus, estou ótima, obrigada. Mas também estava pensando sobre o passado, o presente, o futuro. Foi quando num evento virtual do Galeno Amorim ouvi a sugestão do Dante Gallian. Ah, a Internet! (Suspiro.) Não sosseguei enquanto não li. É tão curtinho e BOM (assim mesmo, com maiúsculas) que qualquer dia desses, quando eu conseguir colocar meus dois baby amores (de dez meses e 5 anos) na cama mais cedo, vou aproveitar para reler. Menos hoje, porque fiquei redigindo esta lista.

10. Como se estivéssemos em um palimpsesto de putas – Elvira Vigna

Elvira recebeu o prêmio APCA de melhor romance com esta obra.“Mas nessa hora que faço, vou contar uma história que não sei bem como é. Não vivi, não vi. Mal ouvi. Mas acho que foi assim mesmo.” (Citação.)Mas nessa hora que escrevo, vou contar que estou interessada nessa história que não sei bem como é. Não vi, não li. Ouvi falar. Bem. A lista é minha, fiquei com vontade de ler e pronto. Acho que foi assim mesmo. (Paródia.)










E olha que notícia boa!: já pesquisei e vi que tem nas bibliotecas da Unesp, ou seja, ler sem gastar nem um tostão!



Sou bibliotecária, mãe, filha, esposa, amiga. Leal, bagunceira, responsável, exuberante, apaixonada, passional, eclética, mandona, medrosa, corajosa, instável, realizada. Feliz. Por isso a lista está em ordem “analfabética”. Está na ordem que EU quis.




Maith Martins de Oliveira é graduada em Biblioteconomia e Ciência da Informação pela Universidade Federal de São Carlos e especialista MBA em Gestão de Unidades de Informação. Atualmente bibliotecária da Unesp de Bauru. É supervisora da Seção Técnica de Referência, Atendimento ao Usuário e Documentação. Contato: maith@bauru.unesp.br