Últimas Notícias

Equipe da Policia Militar é agredida em Sete Barras

Equipe da Policia Militar é agredida em Sete Barras


Na madrugada do domingo dia (17/12), pouco antes das 3h da manhã, uma equipe da Polícia Militar encontrava-se realizando a ronda no centro de Sete Barras quando se deparou com um veículo na contramão de direção.

Os Policiais Militares pararam a viatura e desembarcaram para orientar o seu condutor. 

O motorista e os ocupantes do carro, aparentemente embriagados, passaram a ofender os dois PMs, sendo que um deles era uma mulher, com palavras de baixo calão.






Quando foram tentar deter os indivíduos, os detidos partiram para cima de um dos Policiais Militares e o derrubaram no chão.

Na seqüência, passaram a agredi-lo fisicamente. Revelando toda a sua torpeza de caráter, o grupo ainda tentou subtrair a arma do PM.

Com a chegada de reforços, o quadro foi controlado. Ferido, o Policial Militar foi socorrido ao Pronto Socorro.

 O repugnante ato praticado contra um trabalhador que na madrugada cuidava da segurança de todas as famílias de uma cidade e que faz da defesa da lei a sua lide diária, traz consigo a infâmia e a covardia.

E me faz recordar os rotineiros pedidos, tanto de autoridades constituídas bem como de pessoas comuns, de melhorias no aparato policial militar nas localidades da nossa região.

Mas ao me deparar com uma situação asquerosa como a que ocorreu, surge o seguinte questionamento: o problema é a polícia ou são as pessoas que devemos proteger? 

Coincidentemente no dia 10 deste mês, uma longa e minuciosa matéria foi publicada no jornal “O Estado de São Paulo” com o título “A cada 2 dias, 7 policiais feridos são afastados do trabalho no Estado de SP”.

Segundo o referido artigo, 249 Policiais Militares ficaram incapacitados entre 2015 e este ano, em decorrência de acidentes e ferimentos com armas de fogo e brancas.

Pelo que se percebe, casos como o ocorrido em Sete Barras infelizmente não são mais novidade.

E agora temos o seguinte resultado: um Policial Militar a menos no efetivo de Sete Barras, trazendo obviamente um enorme prejuízo à segurança pública na cidade.

Esta realidade merece ser trazida ao conhecimento de todos, principalmente aos moradores do citado município, para que reflitam e debatam o tema.

Acredito que é o momento para que as autoridades locais, as entidades representativas e os cidadãos de bem, além de repudiar tal infâmia e covardia, se posicionem ao lado dos estão diuturnamente trabalhando para garantir a paz e a tranqüilidade de todos.

NELSON MORAES DE PROENÇA JUNIOR

Tenente Coronel PM – Comandante do 14º BPM/I