Últimas Notícias

Três monstros sagrados da música se apresentam no “Iguape Jazz & Blues Festival” em julho



Três monstros sagrados da música se apresentam no “Iguape Jazz & Blues Festival” em julho

Iguape

Três grandes nomes do jazz e do blues vão estrelar a primeira edição do “Iguape Jazz & Blues Festival”, que promete sacudir o Centro Histórico de Iguape entre os dias 09 e 12 de julho: o veterano Henry Gray, o brasileiro Raul de Souza, trombonista conhecidíssimo no exterior e Tia Carroll, que está sendo apontada com a “nova rainha do Jazz & Blues”. 

Com uma extensa lista de atividades simultâneas que incluem workshops sobre jornalismo cultural e história do jazz e do blues com os jornalistas JB Medeiros (do Estado do São Paulo) e Helton Ribeiro, whorkshow, bate papo com os músicos participantes, Cultura de Boteco, bursker (bandas de rua), escultura do artista plástico Félix e quadros de Osvaldo Matsuda, oficinas de fotografia de palco com o renomado fotografo Marco Aurélio Olimpo, entre tantas outras atividades, promete cativar o público da região, turistas e veranistas. Confira um pouco da história pessoal desses três grandes artistas que irão se apresentar o festival.               

Três monstros sagrados da música se apresentam no “Iguape Jazz & Blues Festival” em julho



Henry Gray - O peito de pássaro da Louisiana  


Ao longo dos mais de 70 anos de estrada, Henry Gray (nascidos na cidade de Kenner, Louisiana em 19 de janeiro de 1925), trabalhou com inúmeros ícones da história da música como: Howlin’ Wolf, Robert Lookwood Jr., Billy Boy Arnold, Muddy Waters, Little Walter, Jimmy Rogers e muitos outros. Ex-combatente da Segunda Guerra Mundial, Henry Gray serviu no Pacifico Sul, onde costumava animar seus companheiros tocando e cantando.

Ao retornar da guerra, Gray se mudou para Chicago onde trabalhou tocando em clubes de Jazz e Blues. Suas primeiras seções de gravações ocorreram em 1952, onde Gray acompanhou o grande Bluesman Jimmy Rogers, no lendário estúdio (Chess Records, recentemente retratado no filme Cadillac Records). Henry Gray às vezes trabalhava com Little Walter, que lhe deu o apelido de “Bird Breast” (peito de pássaro). O veterano bluseiro é um dos últimos ícones do Blues de raiz que ainda está vivo, e na ativa, aos 90 anos. Gray é a “história” viva do Blues e vem pela quarta vez ao Brasil e está abrilhantando o Iguape Jazz & Blues Festival.


Três monstros sagrados da música se apresentam no “Iguape Jazz & Blues Festival” em julho

Raul de Souza – O brasileiro que inventou o “Souzabone” 

Nascido João José Pereira de Souza e rebatizado por Ary Barroso como Raulzinho ou Raul de Souza, o trombonista inventor do “Souzabone”, trombone com quatro válvulas, é reconhecido pelo seu talento e como referencia musical internacional. Tocou em bandas – como a Turma da Gafieira de Altamiro Carrilho e o sexteto Bossa Rio, de Sergio Mendes -, juntando os pontos entre músicos e gêneros, Raul escreveu um grande capítulo não só do jazz brasileiro, mas de toda nossa música instrumental. Atualmente o músico mora no exterior, se apresenta com seu quarteto. Com carreira internacional, Raul de Souza foi homenageado no Chivas Jazz Festival em 2004 e, em 2005, esteve novamente no Brasil para o lançamento do CD Elixir e do documentário Viva Volta, de Heloísa Passos. 

Desde então, o trombonista tem vivido na França e no Brasil. Em 2008, participou do Amazonas Jazz Festival e da Virada Cultural de São Paulo e agora virá se apresentar em Iguape no primeiro festival de Jazz & Blues da cidade.  


Três monstros sagrados da música se apresentam no “Iguape Jazz & Blues Festival” em julho


Tia Carroll I - A nova diva do Rhythm Blues!

Considerada uma autêntica representante do blues americano, Tia Carroll tem sido comparada as divas do gênero Aretha Franklin, Koko Taylor e Tina Turner. Nascida na cidade de Richmond, na Califórnia, o principio da carreira de Tia começou seguindo os passos da maioria das grandes cantoras do blues e do jazz: treinado a voz nos corais da Igreja Batista que frequentava quando jovem. No final dos anos 70 iniciou sua carreira profissional como backing vocal acompanhando o lendário bluesman Jimmy McCracklin e a cantora Sugar Pie DeSanto. No Brasil, Tia Carroll lançou o CD Soul Survivor, terceiro disco de sua carreira. Os primeiro disco foi Wanna Ride em 1997 e Tia Carroll em 2005. As influências musicais nos tons, nos timbres e no swing contagiante no palco vieram de ícones da musica como Sam Cooke, Larry Graham e Stevie Wonder. Dona de uma voz impressionante e uma presença de palco marcante, Carroll é uma estrela em ascensão já colecionando vários prêmios como:
·         West Coast Best Female Blues Vocalist -  2007
·         Traditional Blues Woman of The Year – 2008
·         Band Leader of the Year - 2009