12 de maio de 2017

Mulher brasileira: dor que vai além de marcas

,

Mulher brasileira: dor que vai além de marcas


Ser mulher no Brasil sempre foi um paradoxo enorme. Podemos afirmar que esse grupo é a minoria com o maior número de membros no país, segundo o último censo do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), de 2010, elas representam, numa curva ascendente, 51,03% da população total do país , e desse total, metade são mulheres afrodescendentes . 

Durante nossa História, as mulheres sempre tiveram um papel fundamental, não apenas por serem as matrizes da vida e continuidade do povo brasileiro, mas por serem mulheres muito bravias. 

A mulher brasileira é diferenciada no quesito de lutas, de batalhas e de perseverança. Por exemplo, D. Leopoldina, mesmo sendo austríaca, foi fundamental no processo de autonomia brasileira, sendo que chegou a ser Regente do Brasil em 1822, sem dúvida, a matriarca do Brasil. 

Sua bisneta, D. Isabel foi Regente do país várias vezes durante o segundo Reinado. Em 1932, as mulheres brasileiras conquistaram o direito ao voto, sendo que em 1929 Alzira Soriano foi a primeira mulher empossada prefeita, eleita com 60% dos votos em Lajes, Rio Grande do Norte.








Infelizmente, porém, essas conquistas sempre foram anuviadas pelo Estado brasileiro, incluindo por legislação como o primeiro Código Civil brasileiro que em seu 2° artigo, parte geral, livro I, título I, capítulo I falava: “Todo homem é capaz de direitos e obrigações na ordem civil.”  

A primeira Constituição a falar sobre mulher foi a de 1934, para regular o direito ao voto e isentá-las do serviço militar, o mesmo acontece nas Constituições de 1946 e 1967. 

As Constituições de 1824, 1891 e 1937, o substantivo mulher nem aparece. Somente na Constituição de 1988, no título II, capítulo I, artigo 5°, inciso I declarará: “homens e mulheres são iguais em direitos e obrigações, nos termos desta Constituição”. 

Assim sendo, é natural concluirmos que até 1988, as mulheres eram severamente prejudicadas pela omissão de legislação específica. 

Aliás, até os nossos dias as mulheres são vítimas de abusos e desrespeitos graves, quanto mais no período anterior à Constituição de 1988 e, especialmente, durante a ditadura civil-militar brasileira.

Até os dias contemporâneos a sociedade brasileira estabelece as relações de gênero, segundo padrões heteronormativos, ou seja, a heterossexualidade é tida como padrão e tudo que foge a isso é um desvio. 

Além disso, tais padrões implicam, junto com outros fatores, tais como tradições socioculturais, étnicas e religiosas, por exemplo, à subjugação da mulher como sendo fraca, dependente, emotiva, portadora da castidade e da honra, ao passo que o homem, como ser viril, potente, agressivo, provisor e racional. 

O resultado é um desequilíbrio nas relações de gênero, no qual a coerção masculina à mulher torna-se algo considerado legítimo e correto.









Renan Antônio da Silva: Antropólogo e Pesquisador. É doutorando do Programa de Pós-Graduação em Educação Escolar da Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho", UNESP - Araraquara. Realizou estágio doutoral com bolsa CAPES/PDSE junto ao Centro em Investigação Social (CIS/ISCTE-IUL), em Lisboa/Portugal, na linha temática Gênero, Sexualidades e interseccionalidade (2015-2016).






.
Comentários
0 Comentários
0 comentários to “Mulher brasileira: dor que vai além de marcas”

Postar um comentário


Seu comentário é sempre bem vindo!

Comente, opine, se expresse! este espaço é seu!

Comentário Anônimo, sem nome e email , não será publicado.

Se quiser fazer contato por email, utilize o Formulário para contato

Espero que tenha gostado do Site e que volte sempre!

addthis

Contato (13) 3821-6148

Manutenção de celulares - Técnico de Informática

20 Mega de Internet

20 Mega de Internet na Infovale

Empregos no Japão

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
 
Google+

Site Registro-SP

Site Registro-SP
Cotação da Banana
Cotação da Banana
22 a 29 de maio

WhatsApp do Site

WhatsApp do Site
Autor
Facebook
Recomende-nos no Google

APP Notícias do Site

APP Notícias do Site

TV Ilha Comprida

TV Ilha Comprida

Receitas do Vale

Receitas do Vale

Sites Oficiais


Eventos Acer (RBBC)

Eventos Acer (RBBC)

Quadrinhos Registro da Colônia Japonesa

Quadrinhos Registro da Colônia Japonesa

O Vale do Ribeira Copyright © 2011 | Design by: [ Camilo Aparecido Almeida ] | Movido a: [ Blogger ]