20 de abril de 2017

Algumas reflexões sobre o Brasil

,



Algumas reflexões sobre o Brasil


É correto, mas desanimador, pagar impostos e ser honesto. O coronelismo insiste na manutenção do status quo, no poder pelo capital e que todas as coisas e pessoas podem ser medidas pelo preço e não por seu valor como ser humano.

As delações dos corruptos envolvidos nos diversos procedimentos instaurados pela operação "Lava Jato" demonstram que nenhuma preocupação existe com os direitos fundamentais das pessoas, com o dinheiro para os serviços públicos destinados ao povo brasileiro e ainda quando as investigações no Brasil começaram a esmiuçar tanta falta de honradez e abundância de egoísmo, o "departamento de corrupção" da empresa investigada iria migrar para a República Dominicana, deixando fortes indícios de que as leis por lá e ou as investigações são flexíveis.

Enquanto ativistas fazem de suas vidas a defesa pelo meio ambiente, discussões levantam-se na ONU quanto aos valores humanos, humanização do direito, diversidade, multiculturalidade, interculturalidade, a corrupção por ter para ser, quando não consegue se estabelecer em um território, migra para outro e faz braços em países ricos, depositando dinheiro em bancos desses países, porque não concorrem com uma economia inflacionada.








O discurso para alimentar esse ciclo encerra-se, ideologicamente no capitalismo x socialismo x comunismo; no binômio de força x direito, na outra ponta, na luta do bem contra o mal, pregado e regurgitado pelos governos para justificar ações e reações que mantenham sua hegemonia.

Para quem ainda não percebeu, fomos palhaços de circo sem pagamento, pois tantos anos indo às urnas e tantas vezes defendendo esse ou aquele político, os quais não estão preocupados conosco, com a representação que devem fazer do povo e se ainda não observaram, vejam que tratam o cargo público como se fosse deles, como se pudessem dispor como queiram, passível de negociatas e influências, sem qualquer justificativa ao povo que o elegeu e se o "povo" for procurá-los, logo colocam seguranças para nos afastar do local e uma distância de povo para eles, em total desprezo ao que achamos ou nossas indagações!

O Sr. Marcelo Odebrecht em acordo de delação premiada à Justiça, categoricamente afirmou: "eu desconheço no Brasil um político que tenha sido eleito sem propina, se ele não sabia, ao menos o partido sabia!".

Então, quem são nossos representantes de verdade? Atores de muito má atuação e qualidade no cenário brasileiro, os quais viram cordeiros infantilizados na época das eleições para pedir voto e lobos depois que assentaram ao cargo. Bebiam da mesma fonte corruptora e não têm vergonha alguma em atacarem-se mutuamente para resguardarem o "direito" de depois voltarem à fonte que vertia dinheiro grosso.

Essa é uma empresa. Quantas mais há por detrás desse véu imundo que ainda não caiu totalmente?

Os candidatos eleitos para representarem o povo, escondem-se por trás de religiões, falam em nome de Jesus, utilizam passagens da Bíblia, falam em nome da saúde, das minorias, das mulheres, blá, blá, blá e buscam a sua escalada no poder econômico.
Não há éticos nessa questão de corruptos! Até agora foram esmiuçados o Poder Executivo e Legislativo, ainda há o Judiciário e o BNDES, a Caixa Econômica Federal!

Estamos perdidos?! Não, estamos fazendo parte da construção da cidadania brasileira que insistiu até agora em inexistir. Segundo o Professor Leandro Karnal em entrevista à Ana Maria Braga neste mês de abril, desde 22 de abril de 1500 nossa casa não era limpa! Bingo! Verdade!

Se formos bem honestos, somos frutos de antepassados que vieram para o Brasil a fim de enricar e voltar para seus país de origem, frutos de imigrantes judeus que fugiram do holocausto, frutos de imigrantes que fugiram das guerras, frutos de europeus que não tinham lugar nas sociedades europeias, frutos de africanos que foram trazidos para o Brasil à força, frutos de índios que tiveram sua cultura morta e de tantos outros que estavam "correndo" de algo!

Todos que aqui chegaram trouxeram algo e acabaram por motivos alheios às suas vontades e por determinação própria, ficando, miscigenando e formando descendentes.

Cá estamos, chamados a limpar a casa, a repensar as eleições, a ser parte dessa transformação pensando em que país deixaremos para os descendentes das nossas famílias, dos nossos queridos.

Estamos sim em um país continental, entretanto, possível de ser governando regionalmente como já temos governos estaduais. Assim, é possível eleger um modelo como o da administração dos países nórdicos e adaptarmos as nossas realidades.

Infelizmente, esses representantes políticos saíram da nossa sociedade, a qual está cravejada de pessoas que se tivessem a mesma oportunidade, invariavelmente, teriam agido da mesma forma.

O corrompido foi seduzido por algo que queria e não podia ter ou que lhe julgava difícil de ter e como esse algo é desejado, depois de bicar no mel, como uma apaixonado, enlouquece e determinado fica a agir como necessário for para ter o objeto de desejo. Funciona como um perfume enebriante e isso foi citado por um executivo delator como: "o cara ficava tão ávido pelo dinheiro, que no dia do pagamento da propina, chegava antes do dinheiro e ficando esperando ansioso"

Seres humanos não têm preço e as coisas são transitórias e perecíveis, como já ocorreu com os negros escravizados, com sacas de café apodrecendo em celeiros, nossas gerações estão escravas do consumismo, do valor da troca, me dá uma coisa que eu te dou atenção, que te dou amor, que te dou o que deseja, seja na vida profissional ou pessoal. Nossas coisas são podres, um telefone celular comprado hoje já é podre amanhã perante à tecnologia. Estamos semelhantes aos negros escravizados e às sacas de café.

Necessitamos despertar e entender nossa espécie, não tomar atitudes separatistas e sim agregadoras, a cultivar com sabedoria valores salutares para a sobrevivência com qualidade do ser humano.

As leis não dão conta de determinar e confirmar direitos se a maioria dos seres humanos não os reconhecem ou o fazem momentaneamente e ainda valoram mais quem tem capital que quem não tem ou já despertou!

Adriana Ferreira Serafim de Oliveira é Doutoranda em Educação na Unesp de Rio Claro, Mestra em Direitos Fundamentais, especialista em Política e Relações Internacionais, Graduada em Direito.
Comentários
0 Comentários
0 comentários to “Algumas reflexões sobre o Brasil”

Postar um comentário


Seu comentário é sempre bem vindo!

Comente, opine, se expresse! este espaço é seu!

Comentário Anônimo, sem nome e email , não será publicado.

Se quiser fazer contato por email, utilize o Formulário para contato

Espero que tenha gostado do Site e que volte sempre!

Contato (13) 3821-6148

Manutenção de celulares - Técnico de Informática

20 Mega de Internet

20 Mega de Internet na Infovale
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
 
Google+

Site Registro-SP

Site Registro-SP
Cotação da Banana
Cotação da Banana
20 a 27 de março

WhatsApp do Site

WhatsApp do Site
Autor
Facebook
Recomende-nos no Google

APP Notícias do Site

APP Notícias do Site

TV Ilha Comprida

TV Ilha Comprida
DMCA

Eventos Acer (RBBC)

Eventos Acer (RBBC)

Quadrinhos Registro da Colônia Japonesa

Quadrinhos Registro da Colônia Japonesa

Receitas do Vale

Receitas do Vale

pagead

O Vale do Ribeira Copyright © 2011 | Design by: [ Camilo Aparecido Almeida ] | Movido a: [ Blogger ]