8 de outubro de 2016

A volta por cima

,
Bruno Caetano é diretor superintendente do Sebrae-SP


Entre janeiro e julho deste ano, 1.119.373 empresas foram criadas no País, o maior número para o período desde 2010. 

Também representa uma alta de 1,8% na comparação com os setes primeiros meses de 2015. Surgiram 953.060 Microempreendedores Individuais (MEIs) ante 888.837 em igual período do ano passado, uma elevação de 7,2%. A informação é da Serasa Experian, que atribui o aumento ao empreendedorismo por necessidade, aquele em que o sujeito ingressa porque se vê sem outra opção de obter renda.

Muitos ficam pelo caminho em pouco tempo. Levantamento do Sebrae sobre a sobrevivência das empresas aponta que 21,9% dos micro e pequenos negócios instalados no Estado de São Paulo encerram suas atividades até o segundo ano de atividade.

Independentemente da causa – conjuntura econômica desfavorável, má gestão, mudanças na legislação, inovações tecnológicas, transformações no mercado, desavença entre sócios, etc. – falir é sempre doloroso. Entretanto, não tem de ser traumático a ponto de inibir novas investidas. Cair e levantar faz parte do jogo. O empreendedor, acima de tudo, é persistente. Não significa repetir erros; fazer tudo igual após resultados negativos é teimosia. É preciso identificar as falhas e corrigi-las para que o novo início venha sob um olhar mais técnico e amadurecido. O aprendizado de uma experiência malsucedida é talvez o maior legado que se pode obter nesses casos.

Empreender implica correr riscos. A melhor maneira de lidar com eles é com preparação. O empresário deve buscar se capacitar e adquirir conhecimento técnico e administrativo. A empresa, por sua vez, precisa de planejamento para que as ameaças sejam minimizadas. É aperfeiçoar o controle das finanças, aprimorar a gestão de pessoas, conscientizar-se de que marketing e inovação são fundamentais para o sucesso.  

Após a falência, o empreendedor desenvolve uma visão mais aberta, deixando de olhar só para o negócio da porta para dentro. Ele aprende a observar com mais atenção o mercado. É nesse ambiente que vai ter de mostrar suas defesas e estratégias para superar concorrentes, conquistar e fidelizar clientes, além de melhor articular com fornecedores, parceiros, sócios e com quem mais vier a se relacionar.

O empreendedor aprende também a ser mais seletivo. As dificuldades servem para depurar sua própria postura e o que está a sua volta, além de mostrar que é necessário ser flexível para contornar os obstáculos.

O mundo do empreendedorismo tem inúmeras histórias de fracassos e superações. Desistir sem esgotar as possibilidades é a pior opção.  Qualquer dúvida, conte com o Sebrae-SP.

Bruno Caetano é diretor superintendente do Sebrae-SP
Comentários
0 Comentários
0 comentários to “A volta por cima”

Postar um comentário


Seu comentário é sempre bem vindo!

Comente, opine, se expresse! este espaço é seu!

Comentário Anônimo, sem nome e email , não será publicado.

Se quiser fazer contato por email, utilize o Formulário para contato

Espero que tenha gostado do Site e que volte sempre!

addthis

Contato (13) 3821-6148

Manutenção de celulares - Técnico de Informática

20 Mega de Internet

20 Mega de Internet na Infovale

Empregos no Japão

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
 
Google+

Site Registro-SP

Site Registro-SP
Cotação da Banana
Cotação da Banana
20 a 27 de março

WhatsApp do Site

WhatsApp do Site
Autor
Facebook
Recomende-nos no Google

APP Notícias do Site

APP Notícias do Site

TV Ilha Comprida

TV Ilha Comprida

Receitas do Vale

Receitas do Vale

Sites Oficiais


Eventos Acer (RBBC)

Eventos Acer (RBBC)

Quadrinhos Registro da Colônia Japonesa

Quadrinhos Registro da Colônia Japonesa

O Vale do Ribeira Copyright © 2011 | Design by: [ Camilo Aparecido Almeida ] | Movido a: [ Blogger ]